COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 27.10.2020

CAMINHOS DA ZONA SUL_________________________Paulo Gastal Neto

www.caminhosdazonasul.com.br

Feira – A 29ª Mercopar – Feira de Inovação Industrial está com credenciamento online aberto para  visitantes. Promovido pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) e pelo Sebrae-RS, o evento acontecerá de 17 a 19 de novembro, das 13h às 20h, no Centro de Feiras e Eventos Festa da Uva, em Caxias do Sul-RS. A visitação é gratuita e aberta ao público para maiores de 18 anos.  A Feira é planejada e realizada para compradores, vendedores, distribuidores, fornecedores e representantes de empresas dos segmentos metalmecânico, tecnologia da informação, energia e meio ambiente, borracha, automação industrial, plástico, eletroeletrônico, movimentação e armazenagem e startups. Uma das maiores feiras de inovação industrial da América Latina, a Mercopar cumprirá papel relevante na retomada da economia por ser um espaço de geração de relacionamentos e negócios, disseminação de conhecimento sobre tendências da indústria e estímulo a novos negócios. Porém, haverá limite de capacidade de pessoas em função do distanciamento necessário para a prevenção do novo coronavírus.

***

Temporários em Baixa – A crise provocada pelo novo coronavírus deve fazer com que a oferta de vagas temporárias para o Natal seja a menor desde 2015, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Segundo projeção da entidade, 70,7 mil trabalhadores temporários serão contratados neste fim de ano para atender ao aumento sazonal das vendas. O número é 19,7% menor do que o registrado em 2019 (88 mil). O Natal é a principal data comemorativa do varejo e deve movimentar R$ 37,5 bilhões em 2020 – 2,2% a mais do que no ano passado. Para o presidente da CNC, José Roberto Tadros, mesmo impulsionado pelo e-commerce, o varejo ainda sente os efeitos das condições de consumo em meio à pandemia. “A intensificação de ações de vendas on-line pelos comerciantes tem ajudado na recuperação gradual do varejo nos últimos meses e também será um dos impulsionadores das vendas para o Natal. Porém, apesar de o comércio eletrônico ter crescido bastante, as vendas em shopping centers vêm registrando retrações, e isso impacta diretamente o número de temporários contratados, em especial os vendedores”, afirma Tadros.

***

Portos I – Foi realizado encontro entre a Superintendência dos Portos do RS, a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo do RS (Sedetur) e a diretoria da empresa Josapar, entre outros entes empresariais para formar importante acordo para buscar a atração de investimentos e a geração de empregos e renda no Rio Grande do Sul. O titular da Sedetur, Rodrigo Lorenzoni, e o diretor superintendente da Portos RS, Fernando Estima, assinaram o Termo de Cooperação que operacionaliza o Programa Estadual de Desenvolvimento Industrial (Proedi). O Proedi é mais um dos instrumentos disponibilizados pelo Estado para a alavancagem do desenvolvimento econômico, em especial o setor industrial, por meio da implantação ou da expansão de empreendimentos. O programa prevê que terrenos e áreas industriais sejam vendidas às empresas interessadas a preços subsidiados, que podem atingir até 90% de abatimento, como forma de incentivo financeiro. Fernando Estima ressaltou que tal mecanismo está plenamente vigente para a aquisição de lotes por empresas interessadas em investir na retroárea industrial que circunda o Porto, o distrito conhecido como Rio Grande Porto Indústria. Entre os interessados em investir no complexo, destacou-se nesta reunião a empresa Josapar fabricante do Arroz Tio João, cuja marca está disponível em pontos de venda por todo o País, além de exportar seus produtos para mais de 40 países, sendo uma das maiores fornecedoras da rede varejista brasileira.

***

Portos II – Apesar da obra de dragagem do calado do Porto de Rio Grande já ter sido feita na prática, para que o complexo aproveite essa vantagem competitiva e que navios de maior porte possam atracar nos terminais é preciso homologar a nova profundidade – na prática, uma inauguração oficial. Essa medida ocorreu ontem no Palácio Piratini, e com a homologação, o calado do porto gaúcho passa oficialmente de 12,8 metros para 14,5 metros. O contrato original da dragagem foi assinado em julho de 2015 e projetava remover em torno de 18 milhões de metros cúbicos de sedimentos. O consórcio vencedor da disputa para realizar o serviço foi formado pelas empresas Jan de Nul do Brasil e Dragabrás, que fecharam na época o acordo por R$ 368,6 milhões (recurso proveniente do governo federal).

***

Até a próxima!

Comentários