COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 06.12.2022

Caminhos da Zona Sul__________________________Paulo Gastal Neto

Posse – O governador eleito, Eduardo Leite, e o vice-governador eleito, Gabriel Souza, tomarão posse no dia 1º de janeiro de 2023, em Porto Alegre. Às 10h, serão empossados na Assembleia Legislativa. Depois, às 11h, no Palácio Piratini, o governador Ranolfo Vieira Júnior transmitirá o cargo ao governador Leite.

***

Federasul – O pelotense Rodrigo Sousa Costa foi eleito presidente da FEDERASUL, para um mandato de dois anos, com uma diretoria renovada em 40% e que terá 30% de mulheres na sua composição. Rodrigo é o atual vice-presidente de Integração e vai iniciar sua gestão no dia 1º de janeiro de 2023 e a posse festiva será dia 7 de março. O novo presidente anunciou que vai abrir o debate do planejamento para os próximos anos aprimorando estratégias e uniformizando percepções, “para depois agir em bloco numa única direção”, concluiu. Rodrigo Sousa Costa é natural de Pelotas, engenheiro agrônomo e advogado pela UFPel, pós-graduado em Gestão Empresarial pela FGV, produtor rural, foi presidente do Sindicato Rural de Pedro Osório, presidente da Associação Rural de Pelotas, coordenador do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Pelotas, Coordenador da Aliança Pelotas e vice-presidente de Integração da FEDERASUL por dois mandatos.

***

Madeira I – Integrantes do Sindicato Intermunicipal das Indústrias Madeireiras, Serrarias, Carpintarias, Tanoarias, Esquadrias, Marcenaria, Móveis, Madeiras Compensadas e Laminadas, Aglomeradas e Chapas de Fibras de Madeiras do RS (Sindimadeira RS) estiveram em Rio Grande para visita ao Porto. Eles foram convidados pelo Operador Portuário Sagres e pelo Exportador Connexion Export, sendo recepcionados em conjunto pela diretoria da Portos RS e pelo prefeito Fábio Branco. Antes da visita ao cais e aos armazéns, eles passaram por uma breve apresentação da cidade do Rio Grande, do Porto do Rio Grande, do operador portuário e do exportador. Nos últimos quatro anos já foram movimentadas três milhões de toneladas de madeira e o Porto do Rio Grande, apenas em 2022, já ultrapassou mais de um milhão de toneladas. Atualmente, o principal cliente da madeira brasileira é o continente Europeu. A China também é um dos destinos dessa carga.

***

Madeira II – No mercado europeu um dos principais produtos é o eucalipto, o qual é usado para a produção da celulose. Para o mercado chinês, o pinus é um dos principais exportados, que é focadi para os mercados da movelaria e das serrarias. Para atender as necessidades do mercado, o operador portuário Sagres mantém sete pátios para depósito de carga no município do Rio Grande, nos quais são recebidos diariamente mais de 120 caminhões por dia. Outro destaque, foram as operações no Porto de Pelotas que é responsável por uma movimentação anual de mais de um milhão de toneladas de toras de madeira, com carregamento em barcaças, potencializando a utilização do sistema hidroportuário gaúcho.

***

Negócios – Os preços de venda de imóveis residenciais em 50 cidades brasileiras, segundo o Índice FipeZAP+, registraram alta de 0,59% em outubro de 2022. Entre as cidades gaúchas monitoradas pelo indicador, Pelotas teve a maior variação positiva, com 0,97%. Com sede em Pelotas, a Construtora Porto5 quer continuar a conquistar os clientes deste mercado. A empresa prepara a entrega do Residencial Smart Living, que oferecerá para seus moradores um jeito smart de viver, conectado com o melhor que a vida contemporânea pode oferecer, aliado à tecnologia cuidando da natureza. O residencial terá 196 unidades residenciais com valores a partir de R$ 328 mil e um Valor Geral em Vendas (VGV) estimado de R$ 80 milhões. Jovem incorporadora gaúcha, a Porto5 nasce em terras brasileiras, em 2012, com a visão do empresário Rafael Nascimento, que trouxe para o Brasil todo o conhecimento adquirido, em parceria com outras duas construtoras do norte de Portugal. Depois de uma década de operação no país, são 35 lançamentos, sendo 17 empreendimentos entregues e 18 em execução, com base em três pilares de trabalho: velocidade na execução, qualidade e preço justo. A construtora já contabilizava R$ 1,5 bilhão de negócios feitos até 2020, sem recorrer ao sistema financeiro, usando somente capitais próprios em oito anos de atuação e projeta novos lançamentos nos próximos três anos envolvendo os mercados gaúcho e catarinense.

***

Até a próxima!

Comentários