COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – 13.12.2022

Caminhos da Zona Sul___________________________Paulo Gastal Neto

Portos RS I – Aconteceu em Gramado mais um Encontro Nacional de Praticagem. O evento reuniu os profissionais para troca de experiências e discussão dos desafios portuários e da profissão. No Brasil, 618 práticos estão distribuídos em 20 zonas de praticagem (ZPs) estabelecidas pela Marinha. Eles realizam cerca de 100 mil manobras por ano. No Rio Grande do Sul, a ZP-19 requer o serviço para os navios que acessam o Porto do Rio Grande, enquanto a ZP-20 abrange a Lagoa dos Patos, para as embarcações com destino a Porto Alegre e terminais interiores. Rio Grande esteve representada pelo prefeito municipal, Fábio Branco, pela presidente do Conselho de Administração da Portos RS, Jacqueline Wendpap, e pelo gerente de planejamento e desenvolvimento da Empresa Pública, Fernando Estima. Na ocasião, Fernando palestrou sobre o tema Os Desafios e as Perspectivas da Logística Portuária Gaúcha.

***

Portos RS II – O diretor de meio ambiente da Portos RS, Henrique Ilha, participou de reunião que apresentou os resultados da segunda fase dos estudos sobre os impactos e os riscos da mudança do clima para os portos de Rio Grande, Santos e Aratu. O projeto foi desenvolvido entre a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e a Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável. O estudo detalha as ameaças climáticas de maior probabilidade de ocorrência em cada um desses portos, além de relacionar os principais riscos estruturais e operacionais aos quais os terminais estão sujeitos, assim como as medidas de adaptação a serem empregadas. Entre os três portos analisados nessa etapa do estudo, o de Rio Grande é o que apresenta os maiores riscos e a principal das ameaças são os ventos. Segundo a Antaq, o ‘vento quadrante sul-sudoeste teve risco classificado como alto em algumas interações, principalmente devido à alta probabilidade classificada como muito frequentemente nos períodos presente e futuro. As cargas sob maior risco são Granéis Líquidos, Granéis Sólidos e Celulose’. O estudo leva em conta duas faixas temporais: a primeira de 2021 a 2040 e a segunda de 2040 a 2060.

***

Sondagem – A Fecomércio-RS divulgou os resultados da edição de novembro do Índice de Confiança dos Empresários do Comércio, realizada nos últimos dez dias de outubro. O resultado de 131,3 pontos fez o índice avançar 3,3% na margem e 5,6% na comparação interanual, ultrapassando em 5,3% o pré-pandemia. O índice avalia as percepções dos empresários acerca das condições atuais, expectativas para próximos meses e intenção de investimentos. Nesta edição o índice de Condições Atuais atingiu os 117,1 pontos. Esse resultado representou um aumento de 5,2% em relação ao mês anterior e um acréscimo de 10,3% na comparação com nov/21. O resultado do subíndice sobre a condição atual da Economia (111,2 pontos) refletiu a avaliação de condições melhores por 63,0% dos entrevistados – para 47,7% melhorou um pouco e para 15,3% melhorou muito. O indicador de expectativas apresentou expansão de 1,3% em relação a out/22, atingindo 155,2 pontos. Na comparação interanual o acréscimo foi de 4,0%. Esse é o subíndice mais elevado dos componentes do ICEC-RS e historicamente se mantém em patamares altos, tendo passado por ajustes para cima nos últimos meses.

***

Eleição – O presidente do Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac, Luiz Carlos Bohn, foi eleito presidente do Conselho Deliberativo Estadual (CDE) do Sebrae RS para a gestão 2023/2026. O pleito ocorreu durante a reunião extraordinária do CDE realizada na sede da organização, em Porto Alegre. Bohn manterá a diretoria executiva do Sebrae formada por André Vanoni de Godoy, diretor-superintendente, Ayrton Pinto Ramos, diretor técnico, e Marco Aurélio Vieira Paradeda, diretor de Administração e Finanças. A cerimônia de posse deve acontecer em janeiro. Bohn está em seu terceiro mandato à frente da Fecomércio-RS, onde também preside o Sesc-RS e o Senac/RS desde 2014.

***

Visita – O secretário nacional de portos e transportes aquaviários, Mário Povia, visitou o Porto de Porto Alegre. A agenda no RS também contemplou a presença na reunião que marcou o anúncio de áreas públicas arrendáveis nos portos de Rio Grande, Pelotas e Porto Alegre. O incentivo à produção de energia, a partir de recursos originados de fontes renováveis, e a dragagem do canal de acesso ao Porto do Rio Grande também foram discutidos durante a passagem pelo estado.

***

Até a próxima!

Comentários