COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 15.02.2022

Caminhos da Zona Sul________________________Paulo Gastal Neto

Mega projeto – O Deputado Federal Jerônimo Goergen-PP/RS foi quem passou a informação para a coluna: um projeto redentor economicamente começa a tomar forma em Rio Grande, mas que impactaria efetivamente as duas cidades (Pelotas) e a zona sul do estado. Grupo de investidores liderado por uma empresa de São Paulo está trabalhando para construir um segundo porto em frente o porto de Pelotas, no município de Rio Grande. A operação será no canal São Gonçalo, que receberá dragagem, viabilizando assim uma gama de novas ações nos dois terminais portuários: o já existente (Pelotas) e o novo, em Rio Grande. Goergen informa que a empresa DTA – Engenharia Portuária & Ambiental, uma das principais do setor de dragagem no Brasil, está fazendo o estudo da situação. A estimativa é que o investimento na dragagem gire em torno dos R$ 500 milhões.
***
Nascimento – Todo o processo deste novo projeto nasce em novembro, a partir da publicação por parte do governo federal de decreto autorizando a concessão de hidrovia fluvial e canal São Gonçalo. Em razão deste decreto de concessão, segundo Goergen, o novo porto é um projeto totalmente privado. Um dos destaques é que o Canal São Gonçalo faz ligação com a hidrovia da Lagoa Mirim, que, por sua vez, se conecta diretamente com o Uruguai, incrementando os desejos também do país vizinho.
***
Licenças – O governo federal encaminhou solicitação de estudos então a DTA. O processo específico da dragagem, depois de analisado, poderá ser feito com investimento privado ou poderá ser realizado pelo próprio governo. Os estudos e o orçamento é que vão atribuir esse destino específico. A questão no canal não é um problema de largura, mas sim de profundidade. Por isso a necessidade de uma dragagem que envolverá 15 milhões de toneladas na logística. Já o licenciamento das operações e obras será via Ibama, pois o tamanho do empreendimento requer licienciamento de instância superior, ou seja federal. Jerônimo Goergen disse ainda à coluna que durante o estudo da dragagem, ele próprio esteve com os investidores trabalhando para enviar ao Ibama os documentos para licenciamento do porto. De acordo com Goergen, a documentação foi encaminhada na terça-feira, 8 de fevereiro.
***
Otimismo – O Deputado Jerônimo ainda salientou que foi procurado pelos empresários da Zona Sul para fazer contato com pessoal de um fundo de São Paulo. Passou algumas semanas, fez o contato e o fundo falou que tem total interesse em construir o novo porto. ‘ – Levamos os empresários para falarem com membros do governo e houve toda essa mobilização’ — disse o deputado, que vem trabalhando no projeto há cerca de seis meses.
***
Sonho – O projeto é encantador. Ele une definitivamente as duas cidades que terão vida no entorno do Canal São Gonçalo. Várias cidades do mundo adotam esse expediente utilizando-se das águas para conciliar economicamente investimentos logísticos e beleza natural. É uma forma de incremento turístico também e um espaço enorme para outros negócios paralelos, gerando empregos nos dois maiores centros urbanos da região sul.
***
Tec – A UCPEL – Universidade Católica de Pelotas criou uma ferramenta para reunir desafios locais e estimular soluções a partir do conhecimento universitário. Ela será disponibilizada através da plataforma UCPel+ (ucpelmais.beformless.net) e pretende se tornar um novo canal de comunicação entre a comunidade e a universidade na busca por alternativas para problemas reais. Totalmente gratuita, a ferramenta poderá receber desafios de qualquer pessoa, empresas e instituições em geral, como escolas, ONG’s, associações comunitárias, entre outros. Acadêmicos dos cursos de educação a distância, junto com tutores e professores, serão os responsáveis por apresentar alternativas aos problemas recebidos. Os desafios recebidos através do site serão trabalhados ao longo do semestre nas disciplinas de Projetos Integradores, espaço destinado à prática dos acadêmicos de cursos a distância. Também poderão ser utilizados como temáticas de trabalhos de conclusão de curso.
***
Até a próxima!

Comentários