COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 31.03.2021

CAMINHOS DA ZONA SUL_________________________Paulo Gastal Neto

www.caminhosdazonasul.com.br

Portos RS – Alguns setores da economia nada sentiram com a pandemia. Um deles, o portuário do RS, na esteira do sucesso do agronegócio, teve um desempenho do primeiro bimestre de 2021, de fazer inveja à qualquer setor. Dos três portos públicos do Estado sob sua administração (Porto Alegre, Pelotas e Rio Grande) somado com a movimentação privada do complexo do Superporto do Rio Grande, em janeiro e fevereiro, os complexos movimentaram 4.925.800 toneladas, um incremento de mais 10,82% em relação ao mesmo período do ano passado. Rio Grande, que envolve o Porto Público, os cinco terminais particulares arrendados, os dois estaleiros e os quatro terminais de uso privado de empresas, foi responsável pela maior parte deste montante: 4.591.852 toneladas no primeiro bimestre, um aumento de 11,37% na comparação com os dois primeiros meses de 2020. O Porto de Pelotas registrou um volume 11,19% maior do que nos dois primeiros meses de 2020. No entanto, o que mais chama atenção é o comparativo da performance com o mesmo período de 2019, um salto de 39,08%. A movimentação do Porto de Porto Alegre mostrou uma grande diferença positiva em relação ao ano de 2019, com um incremento de 22,26%, soma superior a 27 mil toneladas no comparativo.

***

Mais um capítulo – Devagar e sempre! O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, anunciou em entrevista exclusiva ao Treze Horas na segunda-feira, 29.03, que foi autorizada a ordem de serviço para as obras da nova ponte sobre o Rio Camaquã. O contrato deve ter duração de dois anos e o projeto deve levar até seis meses para ser finalizado.  Ao lado da antiga a nova ponte é uma das maiores da duplicação da BR-116. De acordo com o DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, a construtora responsável pela obra terá orçamento de R$ 46,89 milhões para a finalização da mesma, que deverá ser concluída até o final de 2022. A ponte em questão terá 680 metros de extensão sobre o leito do Rio Camaquã.

***

Outro capítulo – Ainda na entrevista exclusiva concedida ao Treze Horas da R.U., o ministro Tarcísio Gomes de Freitas salientou que estão sendo preparadas as novas licitações dos trechos que estão pendentes, em Camaquã e São Lourenço do Sul, onde as empresas entraram em recuperação judicial. A expectativa é que esse ano 155 quilômetros de duplicação estejam concluídos, garantindo que a obra estará totalmente duplicada em 2022. Outra boa notícia é que o Contorno de Pelotas deve ser entregue até final de 2021. De acordo com o ministro, haverá suplementação orçamentária para a conclusão.  Para o Orçamento de 2021 estão previstos até agora R$ 106 milhões para a duplicação da Br-116, sendo R$ 22 milhões da emenda da bancada gaúcha.

***

Polo Naval – Novas perspectivas começam a surgir para o Estaleiro Rio Grande e a indústria naval da região. Ao longo de 2020, o grupo Ecovix tem investido em uma série de ações e projetos para diversificar suas atividades no empreendimento, com foco na retomada da economia e geração de novos empregos. As frentes de trabalho vão desde áreas como o desmantelamento de embarcações, a construção e reparação naval e a utilização do local como terminal portuário. A expectativa é de que as iniciativas possam gerar 600 empregos diretos, somados aos postos de trabalho existentes. Em um mercado com potencial de R$ 90 bilhões nos próximos dez anos, o descomissionamento e desmantelamento de embarcações é um dos setores mais promissores para o Estaleiro.

***

Varejo – O Grupo Carrefour Brasil divulgou que chegou a um acordo para comprar o Grupo BIG Brasil, por 7,5 bilhões de reais. O grupo BIG, controlado pelo fundo de investimentos Advent International e pelo Walmart, é dono de marcas como BIG, Super Bompreço, Maxxi Atacado, Walmart e Sam’s Club no Brasil e tem mais de 40 mil funcionários aqui no país. Além disso, o grupo BIG é dono do ativo imobiliário de 181 lojas (4% do total) e de mais 38 propriedades, que somam valor de 7 bilhões de reais. A estimativa é que a combinação crie um grupo com vendas brutas de cerca de 100 bilhões de reais. Segundo o comunicado divulgado, a aquisição “expandirá a presença do Carrefour Brasil em regiões onde tem penetração limitada, como o Nordeste e Sul do país, e que oferecem forte potencial de crescimento”. A transação também vai reforçar a presença do Carrefour Brasil em formatos nos quais tem presença mais limitada, em particular os supermercados (99 lojas Bompreço e Nacional) e soft discount (97 lojas Todo Dia)”. O comunicado diz ainda que a complementariedade dos negócios vai ampliar a base de clientes do Carrefour no Brasil de 45 milhões para 60 milhões de clientes. Com a compra do BIG, Carrefour passa a ser maior empregador do país com um de 137 mil postos de trabalho.

***

Até a próxima!

Comentários