COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 15.09.2020

CAMINHOS DA ZONA SUL____________________Paulo Gastal Neto

www.caminhosdazonasul.com.br

Aero I – A Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) revela preocupação com a possibilidade admitida pela CEO da Fraport, Andreea Pal, de faltarem recursos para ampliação da pista do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, se as obras não forem concluídas até dezembro do próximo ano. A FIERGS entende que os trâmites para a retirada de famílias que ainda ocupam uma área na qual as obras deveriam ser realizadas precisam ser desembaraçados. A FIERGS ressalta que a ampliação da pista traria competitividade à indústria e às exportações gaúchas, reduzindo o custo das empresas, já que atualmente a maioria das vendas externas são transportadas via terrestre. A conclusão do prolongamento da pista permitiria a operação de voos de carga com aeronaves de grande porte em longa distância de Porto Alegre ao exterior, reforça a Federação das Indústrias.

***

Aero II – O aeroporto internacional João Simões Lopes Neto será licitado até o mês de março de 2021. A afirmação foi feita pelo Ministro da Infraestrutura Tarcísio Freitas, durante ‘live’ com o Senador Lasier Martins. Hoje o aeroporto de Pelotas é administrado pela Infraero. A sexta rodada de concessões da ANAC inclui três aeroportos da Metade Sul do Rio Grande do Sul – Pelotas, Bagé e Uruguaiana. Juntos eles devem receber investimentos de R$ 200 milhões de reais. Estão previstas construções de novos terminais, pátios estacionamento de aeronaves, e adequação de pista. O ministro Tarcísio Freitas afirmou que o leilão vai garantir um cronograma por trinta anos – período da concessão.  Ao todo serão nove aeroportos administrados por um mesmo vencedor, o chamado Bloco Sul, que inclui ampliação, manutenção e exploração dos aeroportos de Curitiba/PR, Foz do Iguaçu/PR, Navegantes/SC, Londrina/PR, Joinville/SC, Bacacheri/PR, além dos aeroportos gaúchos de Pelotas, Uruguaiana e Bagé. A concessão por blocos foi o modelo encontrado pelo governo federal para garantir investimentos privados em aeroportos com menor movimento, para que o investidor não buscasse apenas os de maior fluxo de passageiros.

***

História – O prédio da Intendência de São José do Norte está com telhado novo. A obra de restauro com o reforço estrutural do prédio foi concluída e o termo de entrega definitiva desta etapa assinada pelo diretor do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE), Renato Savoldi. O projeto é realizado através da Lei Rouanet com financiamento da EBR – Estaleiros do Brasil, Mitsui & Co, Toyo do Brasil, Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro e Toyo Setal. O projeto é coordenado pela Surya Projetos Culturais. Tombado pelo IPHAE, o prédio já foi sede dos três poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário. Ao longo da história mais de 20 administradores – entre intendentes e prefeitos, ocuparam o espaço. A recuperação e proteção completa deste bem histórico tem orçamento de R$ 6 milhões, divididos em quatro diferentes etapas de obras. De acordo com Clarice Ficagna, produtora executiva da Surya, a primeira fase do projeto começou em 2018, com investimento de R$ 380 mil no processo de limpeza, reforço estrutural e isolamento do local.

***

Fumo – Criada na A.L. a Frente Parlamentar em Defesa dos Produtores da Cadeia Produtiva do Tabaco. O Tabaco é uma das principais culturas do RS e de fundamental importância para a economia da região. A Frente contou com a assinatura de 22 parlamentares para sua criação, e será coordenada pelo deputado estadual José Nunes (PT). Segundo ele a Frente é um espaço coletivo e democrático que pretende promover um amplo debate desse importante setor produtivo, construir propostas de políticas públicas de fomento, assistência técnica e garantia de comercialização (preço justo) entre os produtores e os outros elos dessa cadeia produtiva gaúcha. A ideia é que se crie um cronograma de trabalho para estimular a criação de Frentes Municipais, sempre em parceria com os sindicatos de trabalhadores rurais e as respectivas federações, e agilizar a discussão e tramitação do PL 204/2015, da classificação do fumo na propriedade.

***

Até a próxima!

Comentários