LICITAÇÃO VAI DEFINIR EMPRESA PARA A CONSTRUÇÃO DA USINA FOTOVOLTAICA DO PELOTAS PARQUE TECNOLÓGICO

Um novo passo está sendo dado para a implantação da Usina de Minigeração Solar Fotovoltaica do Pelotas Parque Tecnológico, com a publicação do aviso de licitação referente à Tomada de Preços 14/2020 no Diário Oficial dos Municípios. O objetivo da licitação é a contratação da empresa que será responsável pela obra e a abertura dos envelopes acontecerá no dia 2 de setembro, às 13h. A usina contará com 109 painéis solares que poderão gerar 87.000 kWa/ano, tornando o Pelotas Parque praticamente autônomo na questão energética em suas áreas compartilhadas.

A usina é um projeto que há pelo menos três anos vem sendo trabalhado pela direção do PPT e será viabilizada a partir de recursos obtidos por meio da emenda parlamentar do senador Lasier Martins (Podemos). O valor da emenda totaliza R$ 420.774,00 e receberá ainda um aporte de R$ 4.250,24 da Prefeitura Municipal de Pelotas através da Secretaria de Desenvolvimento, Turismo e Inovação (Sdeti). O secretário da Pasta, Gilmar Bazanella, destaca que a usina representa o olhar de todos os envolvidos para o futuro. “Além da produção de energia, poderemos construir estacionamentos cobertos para os veículos, onde serão alocadas as placas, e também gerar energia para viabilizar a recarga de baterias para carros híbridos e movidos a energia”, destaca ele.

O Diretor Financeiro do Pelotas Parque, Cristian Kuster, destaca que esse é um projeto que contribui na diversificação da matriz energética com uma solução sustentável. “Desta forma poderemos incentivar ações de conscientização no uso eficiente desses recursos além da sala de aula, atingindo a sociedade com a redução de impactos ambientais”, explica. Já Bazanella destaca ainda que esse será mais um atrativo do PPT. “Além de diminuir os custos de energia no Parque, a usina é um sinal importante para as empresas acolhidas no local de que ele estará comprometido com a inovação”, salienta.

A usina será instalada no formato modular, permitindo que mais placas sejam acrescentadas futuramente conforme o aumento do consumo. A manutenção também exigirá poucos custos, já que as placas necessitam de lavagem apenas de seis em seis meses. O processo de licitação está sob responsabilidade da Prefeitura a partir da Comissão Especial de Licitações, vinculada à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). O edital da licitação pode ser conferido no site da Prefeitura.

Sobre o Pelotas Parque Tecnológico
O Parque, criado oficialmente em 2016, é gerido pela TECNOSUL – Parque Científico e Tecnológico, uma associação civil sem fins lucrativos de direito privado, caráter científico, tecnológico, educacional e cultural.  O parque possui um Conselho de Administração (Consad), eleito a cada três anos, e atua em três grandes áreas nas quais o município já se destaca como polo: tecnologia da informação e comunicação; tecnologia em saúde e indústria criativa.

Atualmente, 63 empresas atuam no Pelotas Parque Tecnológico, sendo 23 instaladas nas áreas geridas pelo Parque, sete no coworking, 15 incubadas, 18 pré-incubadas. Entre as incubadoras estão a Conectar, Incubadora de Base Tecnológica da UFPel; CIEMSUL, incubadora de empresas multissetorial da UCPel e SENATEC, destinada às empresas júnior. Ainda, existem 23 instituições parceiras. O Parque oferece espaço coworking, com área gastronômica para 55 pessoas, auditório para 230 pessoas, duas salas de reunião e capacitações e estacionamento para 65 carros. Ao todo, o Pelotas Parque gera 267 empregos diretos e 638 indiretos.

Comentários