Entrega da P-55: Operários lamentam ausência de Dilma

Um dos trabalhadores da P-55 e que está aflito sobre o possível corte de vagas no polo naval, o mecânico Luciano Quintana, 41 anos, ficou decepcionado com a ausência da presidente Dilma Rousseff. Esperava que pudesse desfazer o clima de desalento causado pela média diária de 90 demissões – o cálculo é do Sindicato dos Metalúrgicos de Rio Grande e São José do Norte.

Ao contrário de outros trabalhadores, que ignoravam a desistência de última hora, Quintana estava atento às notícias desde cedo. Segurando o capacete à mão, com o uniforme azul-marinho da empresa, lamentava-se, cabisbaixo:

– Fiquei chateado. Prepararam tudo para receber a Dilma.

Quintana e os colegas queriam entregar a P-55 para a presidente. Parte deles será remanejada para a construção da P-58, mas sabem que não haverá vagas para todos.

– Sou ciente de que uma obra termina, não é para a vida toda, mas há muita indefinição – disse Quintana, pai de uma filha.

O presidente do sindicato dos metalúrgicos, Benito Gonçalves, destacou que a situação é preocupante. Calculou que, dos 24 mil operários do auge do polo naval, sobraram em torno de 19 mil com a conclusão gradual das obras.

No Estaleiro Rio Grande, onde Dilma seria recepcionada, o cenário era de frustração. Às 9h30min, os operários Jefferson Fonseca, 23 anos, e Diego Eleto da Silva, 20 anos, não sabiam do cancelamento.

– Ela não vem? Mas todos nós estamos na expectativa – surpreendeu-se Jefferson.

Comerciantes que se estabeleceram com tendas em frente ao estaleiro também lastimaram a ausência. Vera Lúcia Pavelak, que vende café e sanduíches, desejava, pelo menos, abanar para Dilma.

Funcionários da Petrobras realizaram uma cerimônia informal, de entrega da P-55, mas sem permitir o acesso a jornalistas. Afixada à entrada do estaleiro, a faixa “Bem-vinda, presidenta Dilma” – do jeito que ela gosta, com a flexão feminina do cargo – não teve a quem saudar.

Fonte: Nilson Mariano _ Jornal Zero Hora
________________________________________________________  
Curta o Blog no Facebook
Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




Comentários

1 comment

  1. Anonymous

    Do jeito que a jornalista colocou a reportagem parece que essa era única chance na vida da Dilma vir a Rio Grande, já veio com o Lula como ministra, já veio como presidente e virá muitas outras vezes, daqui a dois meses o Polo Naval do Rio Grande concluirá a P58, a quarta plataforma de petróleo construída em Rio Grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − quinze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.