Pelotas versus Rio Grande?


    Um tradicional radialista pelotense, de quem admiro muito o trabalho, compartilhou no Facebook um post, daqui do blog, sobre futuros condomínios próximo ao Balneário Cassino, em Rio Grande. Eis que um leitor comentou que, “como pelotense, sou mais Alphaville, Veredas, Serena, esse do Jaime Lerner, e outros mais. E que, se é para divulgarmos condomínios que o façamos com os daqui, afinal, por mais que tentem ‘detonar e só apontar o lado negativo de Pelotas’, ao menos a construção civil por aqui está num bom momento.” 


    Fiquei pensando sobre o assunto. Nasci e tenho residência em Pelotas. No entanto, talvez por ir, desde muito novo, à Rio Grande, sempre achei que essa possível rivalidade Pelotas – Rio Grande tivesse ficado em um passado distante. Na minha infância tive o Balneário Cassino como uma segunda casa, assim como muitos amigos moradores de Pelotas.

    Pra mim, e para muitas outras pessoas, as duas cidades são contínuas e complementares. Na BR-116 próximo ao Centro de Eventos da Fenadoce há um outdoor de um hotel… de Rio Grande. Já na Rua Val Porto, que liga o centro de Rio Grande a Refinaria Riograndense e a QUIP vi outro dia um outdoor de um escritório de arquitetura… de Pelotas. Algumas das empresas que mais faturam em Pelotas, atualmente, vendem serviços ou produtos para empresas de… Rio Grande. Em menor escala, também observo este movimento no sentido contrário.

    Humildemente, gostaria de fazer uma sugestão àqueles que ainda enxergam um “pingo” de competição entre as duas cidades. Esqueçam esta fronteira que um dia houve e tratem tudo como se fosse uma coisa só. Será melhor – e mais rentável, quando o assunto for negócios – para todos.

    Marcelo Karam Nogueira é engenheiro graduado pela UFPel. Desde 2012 edita o Blog Caminhos da Zona Sul. 

    ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários

    10 comments

    1. Anonymous

      Infelizmente nem todos pensam dessa maneira essa rivalidade está enraizada nos 2 lados e há uma série atitudes que contribui para que isso não termine se fôssemos mais unidos não passariamos pelas situações de abandono que tivemos

    2. José Carlos

      Eu tb concordo que o idela seria a união das forças, mas já vi políticos de Rio Grande se manifestarem de que, por exemplo, a necessária urgência de um aeroporto reformado em Rio Grande, visto que não há um aeroporto descente na região (e o de Pelotas?). Ou então a necessidade de se ampliar aprovações do minha casa, minha vida, visto que a grande maioria estava sendo aprovado para Pelotas. Então acho que infelizmente esta rivalidade ainda existe, é uma pena, pois se as duas cidades procurassem se complementar, não teria pra nenhuma outra região no estado. Pq não um pólo aeroportuário em Pelotas trabalhando junto como naval de Rio Grande?

    3. Anonymous

      Oportuníssimo comentário meu caro amigo. Nasci em Rio Grande a tenho verdadeira paixão pela minha cidade na mesma proporção que admiro Pelotas, cidade na qual tenho raízes familiares. Infelizmente cresci vendo esta triste rivalidade que em certos momentos passou dos limites da tolerável brincadeira bairrista e chegou às esferas administrativas prejudicando em muito a população de ambas as cidades. É necessário mais do que nunca terminar com essa tremenda besteira de que aqui é melhor do que ali e vice versa, quando podemos desfrutar o melhor dos dois lugares na mais pura harmonia, o que nos trará, sem dúvida muitos benefícios.

    4. Marco

      A zona sul nas ultimas décadas foi tratada como o “patinho feio” do Rio Grande do Sul, o primo podre que um dia foi rico, porem hoje Pelotas e Rio Grande se destacam pelo seu crescimento economico virtuoso, queria muito que fosse como Caxias do Sul e Bento Gonçalves que somam forças para o crescimento da região, na verdade queria mais, que a Zona Sul se transformasse em uma serra Gaúcha rica e prospera tantos nas maiores como menores cidades. Acredito que isso irá acontecer nos próximos anos. E por favor, chega de rivalidades, nossa geração precisa ficar e acreditar nesta terra, chamada Zona Sul do RS.

      Marco Antonio

    5. Osvaldo

      Concordo com o autor!!! Essa “rivalidade” só nos deixou atrás das outras regiões. Uma cidade tem que se voltar para a outra e começaremos a colher os frutos. Juntos somos muito mais fortes!!!

    6. Concordo plenamente que essa competição idiota tem que ficar no passado. O que se vê hoje é cada dia mais essas duas cidades integradas e crescendo juntas . A duplicação da rodovia que liga ambas foi um passo importante, o trem de passageiros será outro, e o futuro é cada dia uma cidade mais próxima da outra.

    7. Anonymous

      Marcelo,

      Perfeito e muito oportuno. As duas cidades se complementam em varios aspectos. Onde a soma logistica, geografica e de formação profissional destas duas é imbativel, basta um trabalho focado e alinhado.
      Lembrando também que em nenhum momento presenciei aqui no blog “detonando” pelo contrario.

      Abraços,

      Rafael Lopes

    8. Marcelo,

      Excelente editorial, E como Pelotense vejo no blog um grande defensor para uma nova faze que está surgindo na região (que foi puxada por Rio Grande). E que deixem este momento livre deste tipo de ideias retrogradas. Sejam elas de simples pessoas comuns e principalmente de Políticos. Aproveitando as capacidades logísticas (único Porto marítimo do estado, melhor aeroporto em estrutura do interior do estado) e entre eles, da ponte do retiro até o porto 70 km de estradas duplicas e vasta aéreas disponíveis. Contando com escolas e faculdades de formação acadêmica de referencia.

    9. Pingback: Abre aspas | Caminhos da Zona Sul

    10. Pingback: Opinião: Shopping Pelotas vai dar certo! e outras reflexões… | Caminhos da Zona Sul

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    um + treze =

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.