VAREJO DO RS REGISTRA QUEDA DE 7,5% EM FEVEREIRO

Setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo teve uma queda de 6,5% segundo a pesquisa. Foto: Divulgação

Na comparação ano a ano, o estado ultrapassou um ano reportando resultados negativos

 A 14ª edição do Índice de Atividade Econômica Stone Varejo, que analisou os dados de fevereiro, aponta queda de 7,5% do volume de vendas do estado do Rio Grande do Sul, na comparação anual. O estudo, que apresenta dados mensais de movimentação varejistas, é uma iniciativa da Stone, empresa de tecnologia e serviços financeiros que é a principal parceira do empreendedor brasileiro, em parceria com o Instituto Propague.

O levantamento tem como base a metodologia proposta pelo time de Consumer Finance do Federal Reserve Board (FED), que idealizou um modelo de indicador econômico similar nos Estados Unidos. São consideradas as operações via cartões, voucher e Pix dentro do grupo StoneCo. O objetivo é mapear mensalmente os dados de pequenos, médios e grandes varejistas e divulgar um retrato do setor nacional.

“Os resultados desse mês demonstram a continuidade da tendência de cautela para o primeiro trimestre do ano de 2024, porém, ainda não são suficientes para confirmar alteração de tendência. Dessa forma, é necessário acompanhar os próximos meses para confirmar a alteração dessa trajetória”, explica o pesquisador econômico e cientista de dados da Stone, responsável pelo levantamento, Matheus Calvelli.

Essas e muitas outras informações podem ser encontradas no dashboard do Instituto Propague, que centraliza todos os dados essenciais em um único local, tornando a pesquisa e análise mais simples. Essa plataforma foi desenvolvida para atender às demandas de pesquisadores e interessados no setor, oferecendo acesso fácil a informações valiosas.

Veja mais, em: Link.

Destaques nacionais por segmento

Na análise por segmentos, o relatório indicou que cinco deles registraram uma queda anual significativa, com o setor de tecidos, vestuário e calçados liderando as estatísticas, com uma baixa de 11,6%, seguido por hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (6,5%), móveis e eletrodomésticos (4,3%), material de construção (2,8%) e livros e jornais, revistas e papelaria (2,4%). Apenas um segmento apresentou alta, o de artigos farmacêuticos, com 2,3%.

Destaques regionais

Apenas três estados se destacam com resultados positivos no mês, no comparativo ano contra ano: Acre (2,8%), Piauí (1,8%) e Mato Grosso do Sul (0,3%). Com relação às quedas, diversos estados apresentaram baixas no mês. Os destaques negativos nas regiões Norte e Nordeste foram: Alagoas (18,4%), Pará (9,3%) e Pernambuco (8,6%). Nas regiões Centro Oeste, Sudeste e Sul foram: Espírito Santo (10,4%), Rio Grande do Sul (7,5%) e Santa Catarina (6,7%).

Segmentos analisados

O Índice de Atividade Econômica Stone Varejo avalia seis segmentos:

1) Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, perfumaria e cosméticos;

2) Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo;

3) Livros, jornais, revistas e papelaria;

4) Móveis e eletrodomésticos;

5) Tecidos, vestuários e calçados;

6) Material de Construção.

Sobre a Stone

Empresa de tecnologia financeira que possui uma plataforma de soluções completas, cujo propósito é melhorar a vida do empreendedor brasileiro, ajudando-o a vender mais, gerir melhor o seu negócio e crescer sempre. Por meio de tecnologia e inovação, contribui para o fortalecimento e a evolução do mercado. Com clientes espalhados por todo o Brasil, desenvolve um relacionamento próximo e personalizado com cada um dos lojistas que atende.

Sobre o Instituto Propague

O Instituto Propague é uma instituição sem fins lucrativos que surgiu em 2019 e tem a missão de expandir o debate sobre o sistema financeiro no Brasil por meio da produção de conteúdo, tornando-o mais acessível e inclusivo. Como plataforma de conteúdo, acredita que compreender o sistema financeiro é fundamental para criar um bom ambiente de negócios, estimular a competição, aprimorar a demanda por serviços e desenvolver inovações.

Comentários