CONFIANÇA DOS EMPRESÁRIOS DO COMÉRCIO RECUOU EM MAIO

Confiança dos Empresários do Comércio recua em maio. Imagem: FECOMÉRCIO

Avaliações ligadas a situação atual e a investimentos são mais negativas que ano anterior, mas expectativas mantém patamar de 2022

A Fecomércio-RS divulgou a pesquisa de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC-RS), da CNC. Em maio, o ICEC-RS registrou 110,9 pontos, o que representou um recuo de 1,3% na margem e queda de 4,9% na comparação interanual. “O momento do setor prescreve planejamento e gestão para navegar por um ambiente macroeconômico desafiador. Embora a dinâmica recente mais favorável da inflação e o mercado de trabalho mais resiliente, o crédito caro e a situação da inadimplência das famílias, que ainda sentem em seus orçamentos o efeito da elevação os preços dos anos anteriores, repercute em uma dinâmica mais contida do consumo, em que predomina a cautela”, comentou o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

O Índice de Situação Atual voltou a cair em maio. A situação atual é a componente do ICEC-RS que mais explica a queda do índice a partir do pico pós-pandemia, atingido em novembro de 2022. Nesta edição, o índice atingiu 85,2 pontos, variando -3,7% na margem e -15,1% na comparação interanual. Com o índice abaixo dos 100,0 pontos, prevalece a percepção negativa pela maior parte dos empresários do setor sobre a dinâmica da atividade econômica que, além do contexto diferente do momento de retomada em curso durante o ano passado, capta também um movimento que perda força na margem.

Nas Expectativas, o índice atingiu os 143,1 pontos. Na margem houve queda de 1,2% e na comparação interanual houve aumento de 1,1%. Dessa forma, o índice de expectativas contribuiu negativamente para o resultado do ICEC na margem e interrompeu uma série de três altas consecutivas, contudo o índice segue resiliente na comparação interanual e fica próximo do registrado no ano anterior, com 72,0% dos empresários esperando melhores condições para a economia.

Já o índice de Investimento atingiu os 104,5 pontos e teve pequena variação positiva na margem (0,6%). Na comparação com maio de 2022 o resultado foi de queda de 3,2%. O indicador de contratação de funcionários (120,9 pontos) teve aumento de 3,1% na margem, mas segue recuperando pouco das perdas que ocorram depois do pico de novembro de 2022 (145,5 pontos) até fevereiro de 2023, sendo que na comparação interanual o indicador seguiu em queda, com baixa de 5,4%. Já o nível de investimento registrou 97,8 pontos, com baixa de 0,1% na margem e recuo de 1,7% em relação a maio de 2022. Na situação dos estoques (94,7 pontos) houve recuo de 2,0% na margem e também recuo de 2,0% na comparação interanual.

Veja o material completo aqui.

Comentários