COM APORTE DE R$ 2 MI, PROGRAMA DE TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ESTÁ COM INSCRIÇÕES ABERTAS

Segundo a especialista em inovação do Sebrae RS, Dafne Quintas Waszak Agarrallua, não há um número fechado de empresas que possam participar da iniciativa. Foto: Divulgação.

Articulado pelo Sebrae RS, Alavanca Digital irá beneficiar projetos durante 12 meses com subsídio de 90%

O Sebrae RS está com inscrições abertas para a segunda edição do programa Alavanca Digital. Com aporte de R$ 2 milhões, a iniciativa é voltada para empreendedores de Micro e Pequena Empresa (MPE) ou Instituição Científica Tecnológica (ICT) do Estado que poderão usufruir de um investimento entre R$ 30 mil e R$ 100 mil reais para cada empresa a ser beneficiada durante o período de 12 meses no qual irão desenvolver projetos de transformação digital dos seus negócios. Para as ICT’s os valores serão entre R$ 150 mil a R$ 500 mil reais. As empresas beneficiadas deverão entrar com uma contrapartida de somente 10% do valor solicitado. Informações e inscrições podem ser obtidas no https://bit.ly/alavancadigital2023.

Segundo a especialista em inovação do Sebrae RS, Dafne Quintas Waszak Agarrallua, não há um número fechado de empresas que possam participar da iniciativa, que recebe os projetos e analisa mediante critérios técnicos e de viabilidade comercial, o que determina é o limite orçamentário da chamada, conforme o ticket do valor do projeto a ser solicitado. Em 2022, em sua primeira edição, o programa beneficiou 98 empresas gaúchas. “Como o próprio nome diz, é uma ‘alavanca’ para que os negócios tradicionais realizem projetos tecnológicos que qualifiquem a sua performance”, explica.

Podem ser inscritos projetos vinculados a produtos, processos ou serviços que serão transformados digitalmente e devem estar conectados pelo menos a um dos quatro eixos de transformação: Gestão Financeira, Marketing & Vendas, Pessoas, Cadeia de Suprimentos e Processos. O cronograma de ações do programa prevê a etapa de sensibilização e a de Implementação a serem desenvolvidas ao longo de no máximo doze meses. A etapa de Implementação deve ser executada por uma Instituição Científica Tecnológica (ICT) ou por uma Empresa Prestadora de Serviço Especializado (EPSE) a escolha do cliente.

Comentários