PESQUISA DA FIERGS VÊ CONFIANÇA ESTÁVEL E EXPECTATIVA POSITIVA ENTRE EMPRESÁRIOS

“Os componentes do ICEI-RS reforçam a estabilidade na confiança dos empresários, reproduzindo também o padrão observado nos dois meses anteriores, mas baseada nas expectativas otimistas, pois as condições atuais não se alteraram”, diz o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.

Apesar de subir de 55,8 para 56,1 na passagem de abril para maio, o resultado do Índice de Confiança do Empresário Industrial gaúcho (ICEI-RS), divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), pode ser considerado uma estabilidade, que vem desde março, quando chegou a 55,9 pontos. Acima de 50 e da média histórica de 54,1, indica que a indústria gaúcha segue confiante, porém, entre agosto de 2021, o ponto de máximo mais próximo, e março de 2022, o índice total perdido havia sido de 8,8 pontos, impactado, principalmente, pelas dificuldades na cadeia de suprimentos e pelo aumento de custos de produção. “Os componentes do ICEI-RS reforçam a estabilidade na confiança dos empresários, reproduzindo também o padrão observado nos dois meses anteriores, mas baseada nas expectativas otimistas, pois as condições atuais não se alteraram”, diz o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.

O Índice de Condições Atuais subiu 0,5 ponto em maio, para 50,4, praticamente na marca divisória de 50, o que indica condições inalteradas nos últimos seis meses. A estabilidade sugerida, porém, resulta de avaliações discrepantes dos empresários, que percebem piora nas condições da economia brasileira (47,8 pontos) e melhora nas condições das empresas (51,7 pontos). Este mês, 31% das empresas notam agravamento na situação da economia brasileira, ante 23,8% que consideram as condições da economia melhores – os 45,2% restantes não veem mudança. No caso das empresas, 20,5% assinalam piora e 27,6%, melhora.

EXPECTATIVAS
As perspectivas dos empresários gaúchos para os próximos seis meses continuaram positivas, em maio, e em patamares similares aos de março e abril. O Índice de Expectativas passou de 58,8, no mês passado, para 58,9 pontos, descrevendo, acima de 50, um cenário favorável. De fato, os empresários continuam otimistas em relação à economia brasileira: o índice registrou 54,6 pontos. Entre os consultados, 35,2% estão otimistas, 16,2%, pessimistas e 48,6%, indiferentes. Aos 61 pontos, o Índice de Expectativas das Empresas mostra que o otimismo com o futuro da própria empresa é ainda maior.

Segundo o presidente da FIERGS, o cenário descrito pelo ICEI-RS de maio, combinando  estabilização na situação corrente dos negócios, apesar de alguma deterioração na economia brasileira, e expectativa positiva, sinaliza para uma retomada da atividade industrial gaúcha, que também passa por um período de estabilidade, nos próximos meses.

A pesquisa foi realizada com 210 empresas, 46 pequenas, 67 médias e 97 grandes, entre 2 e 10 de maio.

Comentários