ESTUDANTE DO IFSUL É SELECIONADA PARA PROGRAMA DE INTERCÂMBIO NOS EUA

“Foi graças aos projetos de pesquisa e extensão de que faço parte que eu consegui desenvolver diversas capacidades que foram essenciais para minha aprovação no programa, pois o perfil que eles buscam é de jovens proativos e engajados em causas sociais e que sejam participativos na suas comunidades”, conta a Isadora. Foto: Divulgação

Isadora Martins, do câmpus Venâncio Aires, foi uma das 50 lideranças estudantis finalistas na seleção para intercâmbio nos Estados Unidos. Seleção contou com milhares de inscritos de todo o Brasil

Concorrendo com mais de 6 mil inscritos de todo o Brasil, a estudante do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul) Isadora Martins foi uma das 50 lideranças estudantis selecionadas para participar do programa Jovens Embaixadores. A iniciativa consiste na realização de um intercâmbio de cerca de um mês nos Estados Unidos com tudo pago. A experiência cultural em solo norte-americano, viabilizada pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, busca contemplar estudantes de escolas públicas brasileiras que sejam exemplos em suas comunidades.

Com previsão de embarque no início de julho, Isadora, que cursa o quarto ano do curso técnico integrado em Refrigeração e Climatização do câmpus Venâncio Aires, passará em torno de três semanas no país. Já nos Estados Unidos, a programação começa em Washington D.C., onde ocorrerão oficinas sobre liderança e empreendedorismo, visitas a escolas e projetos de empreendedorismo social, e reuniões com representantes do governo norte-americano. Depois, em outras cidades do país, também serão realizadas outras atividades relacionadas ao tema do programa, como apresentações sobre o Brasil realizadas pelas/os selecionadas/os.

E como resultado do intercâmbio, ao final do programa, Isadora e os demais participantes deverão apresentar um esboço do projeto de empreendedorismo e impacto social a ser implementado em suas comunidades quando retornarem ao Brasil.

Experiências no IFSul foram um diferencial importante para o resultado

Para chegar tão longe, Isadora percorreu um caminho longo e complexo. Até alcançar o resultado esperado, foram muitas as etapas de seleção, como o envio de uma extensa lista de documentos, provas e entrevistas em inglês. E a cada etapa, o componente emocional também falava alto. “Este ano era minha última chance, pois eu já estava com a idade limite de participação (18 anos) e também estava me encaminhando para o último ano do Ensino Médio, o que também é um requisito, então era agora ou nunca”, conta a estudante, relembrando a expectativa vivenciada ao longo do processo.

E em uma seleção tão extensa e complexa, as experiências e conhecimentos construídos no IFSul foram determinantes para o resultado alcançado. Quando questionada sobre de que maneira a formação obtida no IFSul auxiliou no processo, a estudante não teve dúvidas na resposta. “Ajudou em absolutamente tudo!”, destaca Isadora, ressaltando ser grata a todos os professores e demais servidores que auxiliaram ao longo da seleção e também à formação que vem tendo ao longo dos seus quatro anos na instituição.

“Foi graças aos projetos de pesquisa e extensão de que faço parte que eu consegui desenvolver diversas capacidades que foram essenciais para minha aprovação no programa, pois o perfil que eles buscam é de jovens proativos e engajados em causas sociais e que sejam participativos na suas comunidades”, conta a jovem. Além disso, Isadora complementa que foi graças aos conhecimentos de escrita acadêmica que ela conseguiu escrever bons textos de apresentação sobre ela e sobre seu projeto, convencendo a banca avaliadora da pertinência da sua candidatura.

Abrindo portas para o futuro

Já na preparação para a viagem, as expectativas de Isadora estão a mil. “Acredito que tudo o que vou viver desde o momento que o avião decolar do Brasil até a chegada aqui vão ser experiências únicas!”, comemora a estudante. Segundo ela, a oportunidade de conhecer pessoas de diferentes lugares e realidades, vivenciar a cultura de outro país e desenvolver ainda mais uma série de habilidades sociais são algumas das principais motivações para a experiência.

De acordo com a estudante, além do aprimoramento do inglês, a participação no programa Jovens Embaixadores deverá contribuir muito com sua formação acadêmica e profissional. “Essa experiência vai me ajudar a conhecer outras formas de fazer as coisas, de observar o mundo e me conectar com outros tipos de cultura. Vou fazer muito networking, trabalhar melhor em equipe e saber viver em um outro ambiente, com pessoas que eu não esteja habituada, desenvolvendo a resiliência e a solução de problemas”.

Saiba mais

Criado em 2002, o Jovens Embaixadores é um intercâmbio de curta duração nos Estados Unidos para estudantes brasileiros do ensino médio da rede pública que se destacam em suas respectivas comunidades pela atitude positiva, bom desempenho acadêmico, conhecimento da língua inglesa, capacidade de liderança e espírito empreendedor.

Comentários