ESPECIAL DE DOMINGO: NOVA RHEINGANTZ E FURG ASSINAM PROTOCOLO PARA IMPLEMENTAÇÃO DE MUSEU NO COMPLEXO

Esse é um passo fundamental para a Nova Rheingantz e que estamos articulando desde 2015 com a FURG. Ter a instituição como nossa parceira e atuante na revitalização é um marco para essa história”, destacou o Gestor do Projeto da Nova Rheingantz, Ricardo Henriques.

Primeira fase do projeto coordenado pela FURG irá fazer o levantamento do espaço que receberá o acervo histórico da antiga fábrica

Na quinta-feira (11) um novo capítulo iniciou na história da Nova Rheingantz, no complexo da antiga Fábrica Rheingantz, em Rio Grande/RS. A Innovar Participações e Incorporações Ltda., proprietária do espaço e  responsável por sua revitalização, firmou o protocolo de intenções com a Universidade Federal do Rio Grande (FURG) para a implementação de projetos da instituição no complexo. “Esse é um passo fundamental para a Nova Rheingantz e que estamos articulando desde 2015 com a FURG. Ter a instituição como nossa parceira e atuante na revitalização é um marco para essa história”, destacou o Gestor do Projeto da Nova Rheingantz, Ricardo Henriques.

O prefeito da cidade, Fábio Branco, esteve presente no momento da assinatura, que aconteceu ao ar livre, e parabenizou a iniciativa. “Contar a história da nossa cidade ajuda a mostrar tudo o que já tivemos aqui e que no futuro pode ser ainda melhor. Com dedicação e parcerias, tudo isso está acontecendo”, destacou ele, que esteve acompanhado do Presidente da Câmara de Vereadores, Filipe Branco. O documento foi assinado para garantir os esforços e interesses mútuos na implementação de um museu com o acervo histórico da antiga fábrica. O objetivo da FURG é elaborar um projeto para a reforma do espaço cedido pela Innovar e a nomeação de uma equipe técnica para discutir a curadoria, disposição e organização dos acervos. “A FURG acompanha as obras desde os primeiros passos, e agora se configura uma oportunidade muito interessante de estruturar um museu que congregue os acervos que contam a história do nosso território e da fábrica, que se confunde com a história de Rio Grande, do Estado e do Brasil”, afirmou o professor e Reitor da FURG, Danilo Giroldo.

O nome do museu ainda não foi definido, mas ajudará a contar um pouco da história da cidade. Segundo o pró-reitor de Extensão e Cultura da FURG, Daniel Prado, o museu também representa um novo potencial para o turismo na região. Prado será o coordenador da fase inicial do projeto, que deve contar ainda com a participação de arqueólogos, historiadores e profissionais e estudantes de outras unidades acadêmicas da FURG em cogestão com a Innovar. Nas fases seguintes, a Pró-reitoria de Infraestrutura (Proinfra) desenvolverá os projetos executivos, de orçamento e especificações técnicas da obra para que se possa viabilizar os recursos financeiros do museu.

Ricardo Henriques, representante da Innovar Incorporações, destaca que a preservação histórica e cultural do espaço é prioridade na revitalização em andamento. “Não se trata apenas de recuperar o complexo arquitetônico, mas também o acervo de todos os artigos que contam a história da Rheingantz, da cidade e dos incontáveis heróis anônimos que contribuíram com seus esforços e sacrifícios para consolidar a presença humana neste território, desde tempos imemoriais e da cidade desde o século 18. Queremos que as pessoas se sintam parte dessa história em breve, visitando o museu e se identificando também com a Nova Rheingantz, que será uma fase conectada ao futuro, mas respeitando o passado, onde se apresentam novos usos para um antigo espaço”, explicou Henriques.

Retrospectiva

A Fábrica Rheingantz foi um dos maiores complexos da indústria têxtil da América Latina, tendo sido inaugurada em 1873. Mais de 2 mil funcionários chegaram a trabalhar simultaneamente no local. Na década de 80, as operações foram finalizadas devido à falência da empresa proprietária à época. Parte do complexo foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae) em 2012, quando houve o leilão em que a Innovar Incorporações arrematou o imóvel por R$ 14,9 milhões.

As obras de revitalização da parte tombada estão focadas em manter a estrutura e elementos originais, preservando a história do local. A área total do terreno conta com 14,6 hectares. O objetivo é construir um novo espaço urbano com o DNA das suas origens e projetos voltados a um ecossistema de empreendedorismo, inovação, cultura e bem-estar abertos à população.

Comentários