COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 03.02.2021

CAMINHOS DA ZONA SUL_________________________Paulo Gastal Neto

www.caminhosdazonasul.com.br

Florestas – A CMPC está lançando em 2021 um grande programa de fomento para ampliar a sua base florestal no RS. O foco é direcionado à pequenos e médios produtores rurais. Segundo a empresa, a Metade Sul do Estado, por questões logísticas, é uma das regiões mais importantes, pois é nela que a companhia chilena tem a sua base: Guaíba. Com o programa de fomento florestal que será lançado nas próximas semanas, a multinacional oferecerá desde capacitação técnica até apoio na resolução de problemas com áreas degradadas e que podem ser convertidas em uma “poupança verde”, de acordo com a empresa. A companhia conta hoje com uma base florestal de 467 mil hectares – dos quais 192 mil são de áreas preservadas. Teve uma expansão significativa nos últimos anos, com um crescimento de 98 mil hectares de área plantada, passando de 178 mil hectares, em 2018, para 275 mil hectares de área com plantio de eucalipto em 2020. Boa parte desta expansão, cerca de 75 mil hectares, veio através de um fundo florestal, já que a empresa não pode ter terras no Brasil, por ser de capital estrangeiro. O trabalho será ampliado através de parcerias com produtores rurais.

***

Aérea – A GOL anunciou que a companhia tem planos de ampliar os voos no Rio Grande do Sul. A intenção é investir em voos regionais no segundo semestre de 2021. No roteiro Pelotas, Uruguaiana, Santa Maria e Santo Ângelo serão ligadas à capital de São Paulo por voos diretos e, de lá, para os demais destinos da companhia aérea. Atualmente, a Gol opera desta maneira em Caxias do Sul e Passo Fundo. As negociações entre Governo do Estado e a Gol começaram antes da pandemia da Covid-19 e foram retomados nesta reunião. Além do governador, estavam presentes o presidente da Frente Parlamentar da Aviação Regional no RS, deputado Frederico Antunes, o secretário estadual dos Transportes Juvir Costella, o diretor de Relações Institucionais da Gol Linhas Aéreas, Ciro Camargo, e com o assessor da presidência, Alberto Fajermann.

***

Saúde – A startup da área da saúde Fácil Consulta encerrou 2020 com números crescentes: o último trimestre do ano apresentou crescimento de 15% por semana para a empresa, reflexo do aumento na marcação de consultas presenciais e por telemedicina. Os números foram impulsionados pela retomada da economia e atividades devido à pandemia e pelo crescimento nos atendimentos psicológicos e psiquiátricos, que registraram aumento de 20% ao mês no segundo semestre. Recentemente, uma pesquisa da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) já apontava o alto impacto negativo da pandemia no estresse e na qualidade do sono.

***

Positivo – As exportações da indústria no Rio Grande do Sul fecharam o ano de 2020 com o primeiro resultado positivo após 15 meses. Em dezembro, totalizaram US$ 1,1 bilhão, aumento de 13% em relação ao mesmo mês de 2019 (US$ 975,4 milhões). Porém, ao longo do ano, as vendas externas acumularam US$ 10,4 bilhões, valor 16,4% inferior comparado ao mesmo período do ano passado. Segundo a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), dois de nossos principais parceiros, Estados Unidos e Argentina aumentaram suas compras no último mês de 2020, apesar dos embarques de produtos gaúchos para a China terem caído 43% na comparação com dezembro de 2019.

***

Queda – Mesmo com a baixa da confiança, o industrial gaúcho continua vendo com boas perspectivas a situação de sua empresa e da economia brasileira. A queda de 3,8 pontos na comparação com dezembro de 2020, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-RS) de janeiro, divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) chegou a 62,3 pontos – varia de zero a cem, e quanto mais acima de 50, maior e mais disseminado é o otimismo entre as empresas. O presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry, porém, faz um alerta. “A maior incerteza em relação ao impacto econômico do fim do auxílio emergencial e do avanço dos casos de Covid-19 no Brasil e no mundo, que pode levar à adoção de novas medidas de isolamento social, reduziu a confiança dos empresários gaúchos em janeiro”, afirma. Todos os componentes da pesquisa recuaram relativamente a dezembro. Após sete meses de altas ininterruptas, o Índice de Condições Atuais saiu do recorde histórico de 64 pontos registrado no último mês de 2020 para 59,8 no início de 2021.

***

Até a próxima!

Comentários