COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 07.07.2020

CAMINHOS DA ZONA SUL____________________Paulo Gastal Neto

www.caminhosdazonasul.com.br

Alta –  Pelo menos um setor se mantém ativo e forte em tempos de epidemia: o da construção civil. Semana passada começaram as obras do Viver Quarier, da Construtora Roberto Ferreira, no bairro Três Vendas – Zona Norte da cidade. O Viver Quartier, é planejado para pessoas que procuram mais que um lugar para morar, procuram qualidade de vida, enfatizam os construtores! Com apartamentos de 1, 2 e 3 dormitórios, o Viver Quartier busca atender às diversas necessidades e fases da vida. Com localização privilegiada, no Bairro Quartier, o empreendimento está inserido no contexto do bairro, que oferece facilidade nos deslocamentos, infraestrutura completa de serviços e lazer, tudo isso sem perder a proximidade e contato com a natureza. O Bairro Quartier fica próximo às futuras instalações do Supermercado Guanabara, do Hospital da Unimed e da Escola Mário Quintana, proporcionando a facilidade de ter os serviços essenciais próximos de casa, sem precisar dispor de muito tempo no trânsito.

***

Infra – O empreendimento conta com infraestrutura de lazer completa e áreas compartilhadas pensadas para promover convívio social e vida ao ar livre. São mais de 10 espaços, como piscina adulto e infantil, academia, salão de festas com churrasqueira, coworking, complexo de quadras esportivas, lounge externo, playground, lavanderia coletiva… entre outros. Além da posição solar privilegiada e todas as unidades possuem sacada, churrasqueira, espera para lareira, esquadrias com vidro duplo, porcelanato na cozinha e banheiro, piso laminado na sala e dormitórios, ventilação natural em banheiros e cozinha, vagas cobertas no edifício garagem, além de elevadores em todas as torres. Também possui unidades térreas com pátio privativo.

***

  • As obras do Viver Quartier iniciaram e você pode ver a maquete completa no plantão de vendas, localizado no Parador Quartier, na Rua Albino Brod, 575.
  • Veja mais nos sites www.viverquartier.com e www.bairroquartier.com.br
  • Acompanhe também nas redes sociais @construtorarobertoferreira e @bairroquartier

***

BR-116 – Ela sempre ela. O  DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, entregou na semana passada, mais 9,7 quilômetros de pista duplicada da BR-116, entre os municípios de Tapes e Sentinela do Sul. Este é quinto segmento de pista dupla da rodovia liberado em 2020. A informação foi veiculada no Programa Treze Horas através de mensagem enviada pelo Ministro Tarcísio Gomes de Freitas. “Desde o ano passado, já entregamos 83,7 quilômetros da BR-116/RS. Nossa meta é avançar mais até sua conclusão total. A expectativa é concluir toda a duplicação até o fim de 2021”, destacou o ministro que deverá conceder entrevista ao programa ainda neste mês de julho. O trecho, localizado entre o km 363,4 e o km 373,1 da rodovia, integra o lote 3 do empreendimento, que possui 211,2 quilômetros de obras de duplicação de Guaíba a Pelotas e está dividido em nove lotes construtivos. Com esta última entrega, o DNIT conclui cerca de 40% da duplicação.

***

Caged – De março até maio, o saldo de empregos formais em Pelotas caiu de 60 mil para 58 mil, aproximadamente. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que divulgou recentemente os números referentes aos cinco primeiros meses de 2020. Segundo o coordenador do Escritório de Desenvolvimento Regional da Universidade Católica de Pelotas (EDR/UCPel), o economista Ezequiel Megiato, a avaliação não é positiva, porém já esperada. A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) contribuiu para as muitas demissões registradas no município. Foram 2.074 desligamentos em março, seguidos de 2.128 em abril e 1.542 em maio, totalizando 5.744 demissões no período. Na avaliação de Megiato, a situação já vinha ruim desde o início do ano, quando não estavam em andamento as medidas preventivas à doença. O saldo de empregos e desempregos ficou negativo em janeiro, com déficit de 711. Foram 2.537 desligamentos para 1.766 admissões. A justificativa seria o término das contratações temporárias realizadas no fim de 2019. “Esperava-se na sequência uma retomada, mas houve um saldo positivo de apenas 15 em fevereiro. Em março, degringolou geral”, avalia o economista.

***

Até a próxima!

Comentários