COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 28.05.2019

    CAMINHOS DA ZONA SUL

    www.caminhosdazonasul.com____________________Paulo Gastal Neto

    Polo afundando – O leilão das estruturas metálicas da plataforma de petróleo P-71, realizado na semana passada terminou com a comercialização de apenas um dos 31 lotes ofertados. Isso representa apenas 250 toneladas do total de aproximadamente 39 mil toneladas de sucata do casco da P-71 postas à venda pela Ecovix. O nome do comprador e o valor da negociação ainda não foram informados pelo leiloeiro oficial. De acordo com o diretor operacional da Ecovix, Ricardo Ávila, o resultado ficou abaixo das expectativas e agora a questão será discutida internamente.

    ***

    Energia I – A termelétrica Pampa Sul, em Candiota, avança rumo a entrada em funcionamento: entrou em operação a fase de testes do sincronismo com o Sistema Interligado Nacional (SIN), atividade que representa o início da operação de geração de energia para a rede elétrica. Ainda no início deste mês a caldeira da usina a carvão foi acesa permitindo que uma série de verificações funcionais fossem executadas, entre as quais, o sincronismo. A partir de agora, dados sobre o desempenho da planta, obtidos durante os testes de carga, serão apresentados para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A empresa também aguarda a obtenção da Licença de Operação (LO) com o Ibama. A entrada em operação comercial da planta está prevista para o final de junho, pois ainda são necessários realizar outra série de testes de performance que vão garantir que a Pampa Sul opere com a potência, taxa de eficiência e níveis de emissões atmosféricas, conforme especificado no projeto.

    ***

    Energia IIA última termelétrica a carvão ativada no Rio Grande do Sul foi a usina Candiota 3, da CGTEE, inaugurada em 2011. Desde então, outros quatro empreendimentos que tinham esse mineral como combustível foram desativados no Estado (fases A e B do complexo termelétrico de Candiota, São Jerônimo e Charqueadas). A Engie Brasil Energia já afirmou que, após a conclusão da Pampa Sul, a empresa planeja vender o empreendimento, assim como o complexo térmico Jorge Lacerda, que está localizado em Capivari de Baixo, no Sul de Santa Catarina. O processo de alienação está alinhado com a estratégia de descarbonização do grupo Engie, que tem como objetivo a redução de emissão de CO2 dos seus ativos. A usina Pampa Sul terá uma potência de 345 MW (cerca de 8,5% da demanda média de energia do Rio Grande do Sul). Em novembro de 2014, logo após vencer o certame que garantiu a comercialização da energia a ser produzida, o investimento previsto para a unidade era estimado em R$ 1,8 bilhão. Atualmente, esse valor é calculado em cerca de R$ 2 bilhões. O começo das operações da térmica estava previsto para janeiro deste ano. A usina deverá consumir, a plena carga, cerca de 200 mil toneladas de carvão ao mês. A operação da térmica gerará cerca de 150 empregos diretos.

    ***

    Campo – Amanhã o ‘Tá em Pauta da Câmara de Comércio do Rio Grande recebe o presidente da FARSUL, Gedeão Silveira Pereira em reunião almoço na sede da entidade. O evento que aborda assuntos de interesse da comunidade empresarial, pois Gedeão falará sobre “Panorama do Mercado Internacional com a Ásia”. Ele é médico veterinário, formado em 1971 pela Universidade Federal de Santa Maria e já foi presidente e diretor de diversas entidades entre elas, do Conselho Deliberativo do SEBRAE/RS e do Fórum Mercosul da Carne. A Farsul é uma das entidades mais representativas do segmento do agronegócio no país. Segundo dados de 2017, a agricultura e o agronegócio no Brasil contribuíram com 23,5% do Produto Interno Bruto (PIB). O tema que será tratado por Gedeão tem grande relação com Rio Grande e região em função da movimentação portuária. Somente a China foi o destino de 14,7 milhões de toneladas, o que representa 59,1% das exportações feitas pelo Porto do Rio Grande. Coreia do Sul teve 816 mil toneladas embarcadas e Japão 632 mil toneladas. Em 2019, o Brasil assiste a disputa comercial entre Estados Unidos e China, que impactam o comércio brasileiro. A reunião-almoço ocorre das 11h45min às 13h30min. E os ingressos estão disponíveis na secretaria da entidade e custam de R$ 65 a R$ 75.

    ***

    Até a próxima!




    Comentários