SECRETARIA DE PORTOS DETERMINA CONTINUIDADE DA DRAGAGEM NO PORTO DE RIO GRANDE

    Embarcações que realizam a obra voltaram a operar ainda na noite dessa quinta-feira SUPRG/DIVULGAÇÃO/JC – Jornal do Comércio

    Contrariando recomendação do Ministério Público Federal, que pedia pela suspensão das obras de dragagem no Porto do Rio Grande após surgimento de lama na Praia do Cassino, a Secretaria Nacional de Portos do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil (SNP) decidiu pela continuidade dos trabalhos no complexo portuário.

    De acordo a Superintendência do Porto de Rio Grande (Suprg), as duas embarcações que realizam a obra voltaram a operar ainda na noite dessa quinta-feira (13).

    A Secretaria de Portos considerou que a paralisação da dragagem ocasiona “evidente prejuízo na execução da obra e aos cofres públicos, sem ganho operacional ao Porto”. A pasta afirma que “não há argumentos suficientes” nos relatórios de que a operação teria relação com o aparecimento de lama na beira da praia.

    “O primeiro relatório apresentou um volume de lama fluida de 4.849.642 m³ (22/11/2018) e no segundo relatório do mesmo programa de monitoramento apresentou o volume 10.995.937 m³ (12/12/2018), tendo com isso, no mesmo período, um suposto incremento de cerca de 7.000.000 de metros cúbicos de lama”, diz o documento assinado pelo diretor da SNP, Bruno Semeghini.

    Já a Suprg reiterou, em nota, que determinou a paralisação da obra “pela importância de se buscar esclarecimentos aos fatos, conforme recomendação do MPF”, sendo a atividade retomada “única e exclusivamente pela determinação contrária do Governo Federal”. A superintendência informou, ainda, que permanece fiscalizando e monitorando a operação, “visto que a preocupação ambiental deve ser permanente”.




    Comentários