CÂMARA MUNICIPAL DE PELOTAS INTEGRADA À MOBILIZAÇÃO PELA BR 116

Vereadores acompanham encontro regional para conclusão das obras

Integrada ao movimento Juntos pela Duplicação da BR 116 Sul, desde o começo da mobilização regional, no ano passado, A Câmara Municipal de Pelotas segue com o tema na sua agenda de atividades e pleitos. Na tarde da última sexta-feira (20) o presidente da Casa, Anderson Garcia (PTB) e os vereadores Luiz Henique Viana e Daniel Trzeciak (PSDB), Fabrício Tavares (PSD), Éder Blank (PDT) e Ivan Duarte (PT) reforçaram o apoio aos novos encaminhamentos, durante o painel Duplicação Urgente, realizado em Camaquã.

“Talvez seja hoje a bandeira mais importante de nós homens públicos estamos levantando nesse momento, a Câmara não vai ficar fora dessa luta e seguiremos imbuídos em somar forças para os próximos passos”, destacou o presidente Anderson.

O encontro lotou o auditório do Teatro do Sesc, reunindo cerca de mil pessoas entre representantes de entidades de classe, associações, empresários, Polícia Rodoviária Federal e autoridades políticas da região e de outros pontos do estado. Frente a este público o evento foi aberto com falas emocionadas de mulheres que perderam filhos e pais em acidentes na BR 116 entre Guaíba e Pelotas.

Depoimentos como o da produtora rural Rosemeri Bartz “Meu filho vinha de Pelotas para Camaquã no ano passado e sofreu uma colisão frontal. Tudo pela falta da duplicação. A morte dele não é apenas uma estatística que se engrossa é uma família que ficou dilacerada. Enquanto as autoridades somam números as famílias somam dor e tristeza.” resumiu, apelando para que as obras sejam concluídas o mais rápido e evitem outras tragédias.

Essas histórias comoveram a todos e a preservação da vida está sendo o principal argumento para que seja ampliada as mobilizações e, consequentemente, os recursos para obra. “A conclusão desta obra é, sem dúvida, a pauta mais importante do Estado hoje e uma das mais importantes do Brasil, basta perguntar para uma dessas famílias que estão aqui hoje qual é o prejuízo dessa obra parada. Para elas será pro resto da vida”, destacou Viana.

Custo da obra inacabada

O coordenador do Escritório de Desenvolvimento Regional da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), Ezequiel Megiato, apontou após levantamento que a não duplicação da rodovia gera uma perda aproximada de R$ 2 milhões por dia, em produtos e serviços que dependem da rodovia. Ainda segundo o estudo, de cada quatro contêineres que chega ao Porto de Rio Grande, três utilizam a BR 116. Para o presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento na Câmara, o vereador Fabrício Tavares (PSD) essa obra está diretamente relacionada à economia do Estado e do Sul do Brasil. “É o principal acesso ao Super Porto de Rio Grande, um dos principais do país, nossa principal entrada e saída de produtos, ponto de importação e exportação que reflete diretamente na nossa economia. Por isso é preciso reforçar a cada dia essa luta até vermos essa obra concluída”. detalhou.

Ainda vinculado a economia, outro setor diretamente atingido pela falta da duplicação é o dos transportes: tanto de cargas quanto de passageiros. Todos expostos diariamente aos riscos de acidentes é o que reforçou o vereador Eder Blank (PDT) “Diariamente são centenas de trabalhadores rodoviários que trafegam por essa rodovia e seguidamente tem algum acidente ou com caminhão ou com ônibus e isso preocupa muito a nossa categoria”, disse Blank definindo também como urgentíssima essa obra pra todos.

Dados da obra

De acordo com o detalhamento feito pelo analista em infraestrutura de transporte do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Hiratan Pinheiro os números são os seguintes:

– Para 2018 foram assegurados R$ 100 milhões entre recursos da União e de Emendas Parlamentares.

– Para a conclusão total da obra hoje seriam necessários R$ 780 milhões

– A duplicação da BR 116 até agora está com 65% da obra concluída.

– Dos nove lotes da obra o mais adiantado é o 9 entre Turçu e Pelotas com 75,5%.

– Entre 2016 e 2017 foram 549 acidentes e 68 mortes, segundo a PRF.

– A obra segue bastante lenta e em alguns trechos.

Para o vereador Daniel Trzeciak (PSDB) são dados que impressionam e preocupam cada vez mais a todos da região. “Precisamos reforçar essa mobilização de lideranças empresariais, da sociedade civil e da representatividade política da nossa região pela segurança de todos e pelo custo dessa infraestrutura inacabada. É assustador o número de mortes e, junto com isso, tudo o que se perde em termos de desenvolvimento econômico. Não dá mais pra aceitar isso”, comentou Daniel.

Toda a mobilização e as cobranças resultaram em mais um possível novo encaminhamento. Durante o encontro o senador Lasier Martins (PSD) e o coordenador da bancada gaúcha no Congresso Nacional, o deputado Giovani Cherini (PR), disseram que vão em busca de uma agenda com o presidente Michel Temer para os próximos dias, a fim de aumentar os recursos para obra, e chegar a R$ 200 milhões. O que poderia liberar concluir cerca de 100 quilômetros de rodovia. “A participação dos deputados é importante, mas quem tem a chave dos cofres é o ministério do planejamento, da fazenda que estão subordinados diretamente à presidência. Então é preciso que o Governo Federal perceba essa urgência”, reiterou o vereador Ivan Duarte (PT).




Comentários