COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 07.11.2017

    CAMINHOS DA ZONA SUL

    www.caminhosdazonasul.com.br__________________Paulo Gastal Neto

    Usina – Tão importante quanto a BR-116 ou a dragagem do canal de acesso ao Porto do Rio Grande está o projeto da Usina Termelétrica. O governador José Ivo Sartori entrou em campo para chamar a atenção de representantes do setor elétrico gaúcho para apoiar o projeto que viabiliza a instalação da usina até o final de 2020. A unidade deveria entrar em funcionamento nos próximos dois anos, mas a concessão do leilão (realizado em 2014) foi revogada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) devido a dificuldades da empresa vencedora da licitação. Na semana passada uma comitiva gaúcha foi a Brasília em busca de uma solução para o entrave. Sartori expôs a importância econômica do investimento para o Rio Grande do Sul, destacando que o projeto prevê a geração de 2,4 mil empregos diretos, mais o dobro de indiretos, e o abastecimento de 3,5 milhões de residências. A defasagem no abastecimento causa menor atração de investimentos às regiões gaúchas e prejuízos pela importação de gás da Bolívia, já que, atualmente, o ICMS cobrado pelo transporte fica no Mato Grosso do Sul.

    ***

    Aterro Independente da aprovação pela Câmara de Vereadores, de uma legislação que inclui no Código do Meio Ambiente do Município de Pelotas a proibição de receber ou depositar qualquer espécie de resíduo sólido ou semi-sólido, a C.R.V.R. (Companhia Riograndense de Valorização de Resíduos) irá manter o cronograma de construção do seu aterro sanitário na região sul do estado. ‘A rigorosa fase de licenciamento está na reta final e, como se sabe nestes casos, a decisão é eminentemente técnica’ disse o presidente da empresa, Alexsandro Ribeiro à coluna Caminhos da Zona Sul.  ‘- Só iremos trabalhar com um volume menor de matéria prima, o que impede neste primeiro momento de construirmos a usina de geração de energia’, completou Ribeiro.  Pelotas estava prestes a resolver o problema em relação à destinação de seus resíduos sólidos (lixo) e também de inúmeros municípios da região sul, dentro da estrita legislação que rege a política nacional de resíduos sólidos aprovada em 2010. ‘A cidade andou para trás’, complementou Alexsandro.

    ***

    Missão – Tenho conversado seguidamente com o prefeito Luiz Alberto Perdomo, de Pedras Altas, que tem feito uma verdadeira cruzada em favor de pouco mais de trinta quilômetros de asfalto que ligam a BR-293 ao seu município através da RS-608. Em recente audiência com o secretário estadual dos Transportes,  Pedro Westaphalen, lideranças de Pedras Altas e Pinheiro Machado, cobraram uma ação direta dos governantes sobre o a retomada das obras do trecho. No encontro foi solicitada a manutenção dos recursos para a obra, já alocados pelo Estado junto ao BNDES, visto que Pedras Altas é um dos municípios que não possui nenhuma ligação asfáltica no Estado. Também foi reforçada a necessidade de a obra ser retomada imediatamente, pois o trecho de 33 quilômetros tem partes executadas que estão se deteriorando devido à falta de manutenção e execução dos serviços. É a total ineficiência do estado, como já se vê entre Guaíba e Pelotas na BR-116. É dinheiro público indo pelo ralo!

    ***

    Comercio – Vitor Augusto Koch foi reeleito para a presidência da Fecomercio-RS. Ele teve cerca de 70% dos votos representando a Chapa 1. A Fecomercio é a entidade que representa o varejo do RS. Koch será o gestor no próximo triênio, 2018-2020. Chapa vencedora: Presidente Vitor Augusto Koch; 1o Vice-presidente Jorge Claudimir Prestes Lopes; Vice-presidente Ademir Sebben; Vice-presidente Fernando Luis Palaoro; Vice-presidente Nara Lucia Trindade Coppini; 1o Diretor-Secretário Marcelo Luiz Peretti; 2o Diretor-Secretário Pedro Jacó Schneider; 1o Diretor-Financeiro Moacir Paulo Lodi; 2o Diretor-Financeiro Affonso Flávio Angst.

    ***

    Até a próxima!




    Comentários