COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 17.10.2017

    CAMINHOS DA ZONA SUL

    www.caminhosdazonasul.com.br__________________Paulo Gastal Neto

    De Brasília

    Novo endereço – O novo endereço do site Caminhos da Zona Sul é

    www.caminhosdazonasul.com.br

    ***

    Emendas e a BR-116 – Hoje, terça-feira, 17 de outubro, decide-se aqui em Brasília se haverá ou não algum recurso extra e imediato para a duplicação do trecho sul da BR-116 / Guaíba – Pelotas. Os recursos nem são tão expressivos e nem se sabe se vão chegar ao destino, pois há contingenciamentos e algumas empresas estão resolvendo seus próprios problemas. Algumas delas se desabilitaram para novos repasses e, mesmo com recursos disponíveis, não conseguirão receber. De toda a maneira, vale o ‘choro’ e o ‘esperneio’ e, mais ainda, divulgar no rádio o que estão fazendo os deputados gaúchos. E assim estamos eu e o Clayton, o Treze, vindo e voltando como se deputados fossemos, sem a senha do mandato, mas com o propósito no ideário. Ou este governo putrefato faz algo de bom para o sul do sul ou que se mova para o porão da história.

    ***

    Alceu Moreira – A ‘bola da vez’ é ele. É o deputado que levantou a voz. Pagar, ou ‘aguardar’ para ver. Comprou a briga. Hoje é o homem do PMDB, chegado ao Planalto, que pode influenciar decididamente no ministro Eliseu Padilha, para que a BR-116 seja uma prioridade. De outro lado está Darcisio Perondi, também do PMDB, também chegado ao Palácio e a Temer e que defende a região das Missões e a ponte sobre o Rio Uruguai, ligando Porto Xavier no Brasil a San Javier na Argentina.    Será carta fora do baralho a partir desta sua tese e deverá fazer um voto sequer aqui na região. Disse ele que serão cerca de dezessete prefeitos aqui em Brasília para defender emendas para a ponte. Haverá ‘embate’. Quando haverá o consenso na zona sul em torno de um nome para deputado federal?

    ***

    Contato – O chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Fábio Branco, em contato direto com a coluna disse o seguinte: [17:40, 13/10/2017] Fabio Branco: Caro amigo desculpa, estava numa reunião,  já falei com o governador e segunda-feira estaremos encaminhando para bancada gaúcha solicitação de emenda para a duplicação,  enviarei cópia. Abraços e fico a disposição. Vamos aguardar se o documento chegará aqui em Brasília!

    ***

    Gestão – Tudo o que não há em um obra de governo é gestão! Há desperdício, burocracia, perda de material, contratos mal feitos, licitações ‘draconianas’ e falta de bom senso para a otimização do orçamento. A ‘máquina’ é a culpada. É inadmissível que uma obra como esta – BR-116 Trecho Sul – com sua proposta definida, licenciada e iniciada não tenha seu prazo efetivado. É a prova efetiva da incompetência de todos os agentes públicos envolvidos. Jamais seriam aproveitados em altos escalões da iniciativa privada. São os ‘filhos’ dos padrinhos políticos, aliados aos técnicos concursados – que são rebotalhos do mercado – , os culpados por esse desperdício de dinheiro público!

    ***

    Mega operação – O Porto de Pelotas realizou no último fim de semana uma super operação para a retirada de seu cais, as peças que farão parte da Usina Termelétrica (UTE) de Candiota. Elas chegaram em julho ao Estado, via Rio Grande (porto) e foram armazenadas em Pelotas. Um Trafo –  dispositivo elétrico semelhante a um gerador – foi importado da China e pesava 200 toneladas. A outra peça, um gerador vindo da Alemanha, se tornou a carga mais pesada trafegando pela rodovia pesando 362 toneladas. O destino final das duas peças foi o município de Candiota.

    ***

    Contradição – A professora Maria da Graça Baumgarten, da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) foi indicada como uma das cinco finalistas nacionais do Prêmio ANTAQ 2017 na categoria Artigo Técnico e Científico com o trabalho “Porto do Rio Grande (Estuário da Lagoa dos Patos-RS): identificação e caracterização dos locais de lançamento de efluentes líquidos nas margens”. O projeto foi desenvolvido no âmbito do Licenciamento Ambiental do Porto Organizado do Rio Grande junto ao IBAMA. O diagnóstico foi dividido em três fases: Porto Velho, Porto Novo e Superporto. Após, os efluentes foram identificados e todas as informações visuais analíticas foram tabeladas. Foram identificados 107 efluentes na Área do Portuário de Rio Grande. O Porto do Rio Grande tornou-se referência na área ambiental sendo o primeiro porto brasileiro a obter uma Licença de Operação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), e o primeiro a renovar esta licença, além de ter sido o primeiro a implantar um Programa de Educação Ambiental (ProEA) permanente e continuado. O Prêmio ANTAQ tem por finalidade reconhecer iniciativas que se destaquem por sua contribuição na melhoria da prestação de serviços de transportes aquaviários à sociedade, fomentar a pesquisa e a produção acadêmica e disseminar as boas práticas na operação e gestão do setor. A cerimônia de premiação ocorrerá no dia 9 de novembro na sede da ANTAQ em Brasília. Porque a contradição? O IBAMA está inviabilizando a dragagem do canal!

    ***

    Até a próxima!




    Comentários