GOVERNO FEDERAL GARANTE PROTEÇÃO AO PÊSSEGO GAÚCHO

    pessego

    O governo brasileiro manterá o pêssego produzido no Rio Grande do Sul na Lista de Exceção à Tarifa Externa Comum (TEC), isso significa que não há risco de redução das alíquotas de importação para produtos estrangeiros similares.

    A garantia foi dada ontem pela coordenadora geral do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) para assuntos da América Latina e Mercosul, Ana Lúcia Oliveira Gomes durante reunião com representantes da cadeia produtiva de Pelotas e região, em Brasília.

     A manutenção do pêssego na lista garante a prática de uma alíquota de 55% para as conservas importadas. “Desde 2001, o pêssego está protegido por esta medida, retirá-lo da lista representaria uma redução da alíquota dos impostos de importação para 35%, o que poderia causar problemas para a cadeia produtiva que está em uma situação muito sólida e positiva atualmente”, explica o deputado federal Fernando Marroni (PT-RS), interlocutor da indústria e produtores junto ao Governo Federal.

    Para o presidente do Sindicato das Indústrias de Conservas de Pelotas (Sindocopel), Paulo Crochemore a garantia do Governo Federal dá tranquilidade ao setor. “A cadeia do pêssego não está sentindo a atual instabilidade econômica, porém precisamos continuar com as garantias e a proteção da Lista de Exceção, para seguirmos produzindo, comercializando o nosso produto e gerando lucro para produtor e indústria”, diz.

    De acordo com os representantes da indústria, apesar do dólar alto, sempre há risco de entrada de produtos estrangeiros, especialmente no final do ano, o que poderia desequilibrar as contas do setor. As conservas produzidas na Argentina, Grécia e China são apontadas como as principais concorrentes da produção nacional que está praticamente toda concentrada na região de Pelotas.




    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    dezoito − cinco =

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.