AGDI e Fiergs apresentam plano urbanístico para São José do Norte

    Um novo bairro – planejado para absorver o crescimento da população até 2030 – é a proposta de Plano Urbanístico para uma área de expansão em São José do Norte, no sul do Estado. O município está recebendo o estaleiro EBR, em obras há um ano.Resultado de um convênio entre Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan) e Federação das Indústrias do Estado (Fiergs), as diretrizes para um espaço de 380 hectares do município foram apresentadas na tarde desta quinta-feira (10) na Secretaria do Planejamento, Gestão e Participação Cidadã (Seplag).“O foco deste trabalho é criar as condições para a expansão ordenada da região. Não se pode correr o risco de que São José do Norte sofra dos mesmos problemas estruturais e sociais constatados em outros pontos de concentração da indústria oceânica no país”, avalia o vice-presidente da AGDI, Aloísio Nóbrega, que também é coordenador executivo do setor estratégico Indústria Oceânica e Polo Naval.

    A consultoria M. Stortti, que desenvolveu o estudo técnico, realizou projeções desse crescimento populacional e as necessidades trazidas por ele. Com isso, chegou a diretrizes que incluem áreas residenciais, zona industrial, equipamentos como escolas e postos de saúde, além de melhorias em segurança, transporte e estrutura viária – tudo realizado em três etapas. 

    A área de expansão em questão pertence ao Exército. O espaço, que fica a cerca de três quilômetros do centro histórico da cidade, deve prever também uma reserva ambiental. Em paralelo, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) articula estudo para mudança de traçado da rodovia BR-101.

    Em 2013, a população do município girava em torno de 26,7 mil pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O empreendimento EBR deverá gerar 3 mil novos empregos diretos em 2015 na construção de módulos e integração da plataforma de extração de petróleo P-74.
    Participaram da reunião representantes do Governo do Estado – AGDI, Seplag, Metroplan, Secretaria-Geral de Governo (SGG), entre outros –, e da Fiergs, além do vice-prefeito de São José do Norte, Francisco Xavier.




    Comentários

    2 comments

    1. Anonymous

      Muito interessante o projeto, algo que falta em RG.
      O mais interessante de tudo é que a área é do Exército (União), assim não virará um monopólio (latifúndio) de apenas uma família que nem é o Cassino.
      Eu mesmo gostaria muito de investir em RG, no cassino propriamente, porem me nego a colocar meu dinheiro num lugar onde não se tem concorrência nos loteamentos, e assim temos que ficar na mão dos latifundiários.
      Sds.

    2. Cristiano

      Faltam projetos? Pelo contrário, tem muitos projetos urbanísticos, alguns já saíram do papel como o Parque do Lago no bairro Bolaxa, condomínios Residenciais como o Parque São Pedro, atrás do bairro já existente e residenciais como Atlântico Sul, Jockey Club I, II e Master, residencial Santorini na Roberto Socoowski, fora os edifícios e hoteis. Tem também os projetos que ainda não saíram do papel como o bairro Nova Rio Grande no final da Roberto Socoowski que terá mais de 800 lotes a ser construído pelo grupo de Marau, os bairros Parque dos Campos da Barra e Polinésia de alto padrão no final da via 9 na barra, o novo bairro com edifícios que será o Rheingantz Garten onde era a antiga fábrica, a parte imobiliária no Praça Rio Grande Shopping que terá 2 hoteis e 8 edifícios entre residenciais e comerciais. Também a parte imobiliária do Partage Shopping a ser contruído com certa de 12 edificios, hotel e bairro horizontal na parte de trás do shopping, o conjunto habitacional do YOU GROUP a ser construído em frente a Furg, fora os bairros que estão planejados para a quinta e nova quinta que ainda nem foram anunciados. Ou seja, o que não falta para Rio Grande são bons projetos, daqui uns anos, estaremos nos limites da cidade lá na ponte do Canal São Gonçalo, limite entre Rio Grande e Pelotas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.