VERANÓPOLIS GANHA CENTRO DE GERAÇÃO DE ENERGIA QUE ATENDERÁ 280 MIL FAMÍLIAS

    PCH Palanquinho, Caxias do Sul. Foto: Bolognesi Energia

    Novas instalações operarão a potência total de 166 Megawatts e oferecerão estrutura de apoio na formação de estudantes em energias renovável

    Neste dia 11 de abril, a cidade de Veranópolis, receberá a inauguração do novo centro de operações para geração de energia da região. Mais moderno e tecnológico, o centro abre as portas com equipamentos, servidores e computadores de ponta, com a tarefa de operar sete PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas) de um único local, garantindo atendimento a cerca de 280 mil famílias da região, considerando um consumo residencial médio de 250 kWh/mês. O evento de inauguração contará com a presença do prefeito Waldemar de Carli, às 17h30.

    Além de trazer uma estrutura mais robusta e equipada, o novo centro, que será controlado pela Hidrotérmica, do Grupo Bolognesi Energia, traz não só otimização da geração de energia, mas também conforto e segurança para as equipes e colaboradores. Para Gabriel Freitas, diretor de operações do Grupo Bolognesi Energia, “a proposta da mudança para que o centro fique dentro da cidade de Veranópolis é também reduzir a necessidade de deslocamento das equipes que realizam atividades administrativas e de operação para as PCHs, minimizando riscos de acidentes no trajeto e sanando dificuldades de acesso em situações climáticas extremas, além de melhorar qualidade de vida por trabalharem mais próximo as suas residências”.

    As Pequenas Centrais Hidrelétricas que serão controladas a partir do novo centro de operações da Hidrotérmica entregam energia para as subestações Nova Prata II, São Marcos e Guaporé, com potência instalada total de 166 Megawatts. Freitas explica que a estrutura, quando inaugurada, terá o controle da geração de energia de forma mais agrupada. “Essa melhoria traz ainda mais segurança e otimiza de forma inteligente a geração hidrelétrica da Hidrotérmica. Nossas equipes terão uma visão integrada das PCHs, facilitando o dia a dia da operação”, detalha.

    Legado para Veranópolis

    Após 15 anos do início de operação das primeiras usinas do Grupo Bolognesi Energia na região de Veranópolis, cidade que acolheu os trabalhadores da primeira obra da empresa, a Hidrotérmica segue comprometida em gerar novas oportunidades à população local com suas novas instalações. O centro de operações, que hoje tem dezoito colaboradores, residentes da cidade, terá em seu espaço uma estrutura de apoio educacional para todos os interessados da região.

    “Existe uma relação com a cidade a partir da história do Grupo e de nossos colaboradores, e queremos aproximar ainda mais a Bolognesi da população. A nova sede também visa inserir ainda mais a empresa em Veranópolis, oferecendo salas para treinamentos que servirão não apenas para capacitar as equipes de trabalho, mas também para receber escolas da cidade para visitação”, comenta Gabriel.

    O Grupo Bolognesi Energia projeta receber estudantes de todas as idades para que o centro seja um polo de conhecimento e auxílio ao município na formação dos jovens quanto à temas de energia renovável, meio ambiente, desenvolvimento de carreira e geração de energia.

    Sobre a Bolognesi Energia:

    A Bolognesi Energia é um grupo privado nacional que investe em geração de energia através das fontes hídrica, biomassa, eólica e térmica, com atuação em oito estados brasileiros, reunindo os empreendimentos UTE Maracanaú, UTE Borborema, UTE RAESA, UTE Cepasa, UTE Pernambuco 3, UTE BenBio, EOL New Energy, PCH Da Ilha, PCH Vêneto, PCH Criúva, PCH Serrana, PCH Boa Fé, PCH Autódromo e PCH São Paulo. Desde 2001, a Bolognesi Energia investe no setor de geração de energia elétrica.

    A Bolognesi Energia concentra sua atuação no setor de geração de energia, desenvolvendo e operando projetos de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), Usinas Termoelétricas (UTEs) e Parques Eólicos. Realiza a implantação e a exploração de empreendimentos de geração de energia elétrica a partir de fontes hídricas, eólicas e termoelétrica a partir de biomassa e óleo combustível.

    Comentários