MEMORIAL É INAUGURADO NO PELOTAS PARQUE TECNOLÓGICO

A iniciativa do Memorial Eladio Dieste partiu da constatação de que a obra do profissional inspirou a construção do prédio onde hoje se situa o Pelotas Parque Tecnológico, ao qual Dieste teria participado do projeto. Foto: Rodrigo Chagas.

A Prefeita Paula Mascarenhas, que acompanhou a cerimônia, destacou que o ambiente do Pelotas Parque Tecnológico engloba não apenas a inovação, mas também o empreendedorismo, a pesquisa e a busca de soluções coletivas, o que tem promovido a transformação do município e da região. Foto: Rodrigo Chagas.

Um marco na história do Pelotas Parque Tecnológico e da cidade de Pelotas foi consolidado na sexta-feira (01) em um importante evento unindo dois países: a obra arquitetônica do prédio que abriga um vasto ecossistema de inovação recebeu um memorial dedicado ao Engenheiro e Arquiteto uruguaio Eladio Dieste. O projeto foi desenvolvido ao longo de mais de dois anos, e contou com a parceria da Prefeitura Municipal de Pelotas e da Universidade Católica de Pelotas, além do apoio de diversas entidades e parceiros como o próprio Escritório Dieste y Montañez SA, e a Fundación Dieste.

A Prefeita Paula Mascarenhas, que acompanhou a cerimônia, destacou que o ambiente do Pelotas Parque Tecnológico engloba não apenas a inovação, mas também o empreendedorismo, a pesquisa e a busca de soluções coletivas, o que tem promovido a transformação do município e da região. “É uma alegria e uma emoção estarmos reunidos aqui em torno da memória desse grande arquiteto. É muito bom reconhecermos a nossa história e as figuras que marcaram essa trajetória, que foi longa até chegarmos nesse resultado hoje”, concluiu a chefe do executivo.

A iniciativa do Memorial Eladio Dieste partiu da constatação de que a obra do profissional inspirou a construção do prédio onde hoje se situa o Pelotas Parque Tecnológico, ao qual Dieste teria participado do projeto. O prédio ainda não havia entrado para o acervo do arquiteto, mas possui todas as características de suas obras, como a alvenaria armada e as abóbadas de dupla curvatura. Além disso, a instalação da exposição com mais de 17 painéis com uma linha do tempo das obras de Dieste tem por objetivo unir o Brasil e o Uruguai, fazendo um resgate da memória e dando destaque ao trabalho do arquiteto, que marcou sua época e deixou sua marca em diversas partes do mundo.

A família de Dieste esteve representada no ato de inauguração pelos dois filhos do uruguaio, Pedro e Eduardo. “Este lugar simboliza o que meu pai pensava com tecnologia. Só podemos agradecer por esse reconhecimento a todos que estão envolvidos”, salientou Eduardo.

Resgate da memória e homenagem
A arquiteta Singoala Miranda foi uma das idealizadoras do projeto do prédio onde hoje se situa o parque tecnológico, projetado inicialmente para ser um centro poliesportivo. Ela também foi colaboradora da iniciativa do memorial e destacou a satisfação em fazer parte de uma homenagem tão especial ao profissional que Eladio Dieste foi. “Sempe fui admiradora dos trabalhos de Dieste e é uma felicidade estar aqui nesse momento. Foi um trabalho que nasceu dentro dele, e uma das grandes emoções para mim foi quando esse projeto foi reconhecido”, destacou ela.

Já para o Vice-Presidente do Conselho Tecnosul, Felipe Marques, uma das principais características do memorial é a promoção da importância em saber o que está por trás da construção do prédio. “A proposta que foi colocada aqui tem uma ideia de fluidez. Nós pensamos em deixar algo de caráter permanente, visível, para que todos que passam por aqui conheçam um pouco dessa história. Também estamos de portas abertas para ampliar as nossas relações com o Uruguai, principalmente em assuntos que abrangem a inovação”, disse ele.

Parceiro do projeto, José Carlos Pereira Bachettini Junior, Reitor da UCPel, aproveitou para salientar a iniciativa conjunta entre as instituições e a academia. “Somos moradores do parque tecnológico de Pelotas há um bom tempo, temos aqui a nossa sala de resoluções e a nossa incubadora, o CIEMSUL. O nosso projeto pedagógico sempre foi voltado para a ideia do ensinar atendendo e, por isso, nunca deixamos de lado os pedidos para apoiar a nossa sociedade, principalmente quando falamos de cultura e de memória, que é um dos grandes objetivos dessa pequena universidade do sul do Rio Grande, que se chama Universidade Católica de Pelotas”, pontuou o reitor.

Passado e futuro interligados
Gilmar Bazanella, Secretário da SDETI de Pelotas, salientou o caráter de inovação na região e a economia disruptiva que acompanha a ideia da indústria criativa. “O Pelotas Parque Tecnológico foi construído a partir de uma visão de um representante do executivo e foi consolidado ao longo dos anos por diversos outros. Somos mais do que um prédio em construção, somos uma referência em inovação da nossa região. Estamos avançando a passos largos, e esse memorial é significativo, principalmente por mostrar a importância de buscar referências no passado e construir uma ideia inovadora em cima disso”, explicou ele.

“É uma alegria ter uma cidade que consegue reunir em torno do poder público a academia, as instituições privadas e iniciativas que nos ajudam a nos desenvolver. Não foi há muito tempo que esperávamos pela construção desse prédio, que agora se transformou nesse centro de inovação. Ver o passado se unindo ao presente e, principalmente, ao futuro, é algo que nos possibilita vermos soluções na cultura, na inovação e tecnologia, na área social, e abrindo-se para o futuro como uma das maiores possibilidades de Pelotas”, afirmou o Deputado Estadual Luiz Henrique Viana, salientando o caráter de reconhecimento do patrimônio de Pelotas e pela inovação e tecnologia promovidos pelo parque tecnológico.

O evento também fez parte da celebração dos 210 anos de Pelotas e ainda contou com a presença do Deputado Estadual Luiz Henrique Viana, da Vice-Reitora do Instituto Federal Sul-rio-grandense, Veridiana Bosenbecker, do Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul, Odir Dellagonsti, do Secretário Municipal de Cultura, Paulo Pedroso, da Secretária de Educação e Desporto, Adriane Silveira, e do Diretor Presidente da Companhia de Informática de Pelotas, Leandro Felix. Além disso, também contou com a representação do conselho do PPT, com a Diretora Executiva, Rosâni Ribeiro, Vice-Presidente do Conselho Tecnosul, Felipe Marques, e o Diretor Técnico-Científico, Edgar Mattarredona.

Sobre o Pelotas Parque Tecnológico
O Parque, criado oficialmente em 2016, é gerido pela TECNOSUL – Parque Científico e Tecnológico, uma associação civil sem fins lucrativos de direito privado, caráter científico, tecnológico, educacional e cultural. Possui um Conselho de Administração (Consad), eleito a cada três anos, e atua em três grandes áreas nas quais o município já se destaca como polo: tecnologia da informação e comunicação; tecnologia em saúde e indústria criativa. Atualmente, 63 empresas atuam no Pelotas Parque Tecnológico, sendo 23 instaladas nas áreas geridas pelo Parque, sete no coworking, 15 incubadas, 18 pré-incubadas. Entre as incubadoras estão a Conectar, Incubadora de Base Tecnológica da UFPel; CIEMSUL, incubadora de empresas multissetorial da UCPel e SENATEC, destinada às empresas júnior. Ainda, existem 23 instituições parceiras. O Parque oferece espaço coworking, com área gastronômica para 55 pessoas, auditório para 230 pessoas, duas salas de reunião e capacitações e estacionamento para 65 carros. Ao todo, o Pelotas Parque gera 267 empregos diretos e 638 indiretos.

SOBRE
O quê: Inauguração do Memorial do Pelotas Parque Tecnológico em homenagem ao Engenheiro e Arquiteto Eladio Dieste
Data: 01/07, às 14h
Local: Pelotas Parque Tecnológico (Av. Domingos de Almeida, nº 1785, Pelotas/RS).

Comentários