ESPECIAL DE DOMINGO: PROJETO HUB DE INOVAÇÃO EM SAÚDE E BIOTECNOLOGIA APRESENTADO NO PELOTAS PARQUE TECNOLÓGICO

Estiveram presentes na reunião o Diretor Técnico Científico do Pelotas Parque Tecnológico, Edgar Mattarredona, o Secretário de Desenvolvimento, Turismo e Inovação de Pelotas (SDETI), Gilmar Bazanella, o Diretor Industrial da Lifemed, Luís Linhares, o Superintendente de Inovação e Desenvolvimento Interinstitucional da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Vinicius Campos, o Diretor da Fundação Delfim Mendes Silveira, Cesar Bergoli, e o arquiteto da dDM+ Ateliê de Arquitetura, responsável pelo projeto arquitetônico do Hub de Inovação, Tiago Dionello.

Na última terça-feira (10), o Pelotas Parque Tecnológico, Lifemed, Secretaria de Desenvolvimento, Turismo e Inovação de Pelotas, Universidade Federal de Pelotas, Fundação Delfim Mendes Silveira e dDM+ Ateliê de Arquitetura apresentaram à imprensa um projeto que vai transformar a inovação em saúde: o “Hub de Inovação em Saúde e Biotecnologia”. Um marco para Pelotas e região, a iniciativa é coordenada pelo parque tecnológico e já foi aprovada na primeira fase do Edital Finep, que busca atender demandas dos ecossistemas de inovação ao redor do país. A proposta é construir um espaço voltado para pesquisa e empreendedorismo na área da saúde, expandindo a atuação do Pelotas Parque em um ambiente que será construído junto à Lifemed Pelotas com um investimento de quase R$ 20 milhões.

Os parceiros do projeto apresentaram os principais pontos sobre a implementação do novo polo de saúde e as próximas fases do Edital, que consiste em uma apresentação oral, prevista para o próximo mês. O investimento total projetado para o Hub de Inovação em Saúde é de R$ 19.788.171,51 e contará com verba do Finep e contrapartidas das empresas que fazem parte da proposição. O valor solicitado ao Finep é de R$ 14.901.632,70.

Estiveram presentes na reunião o Diretor Técnico Científico do Pelotas Parque Tecnológico, Edgar Mattarredona, o Secretário de Desenvolvimento, Turismo e Inovação de Pelotas (SDETI), Gilmar Bazanella, o Diretor Industrial da Lifemed, Luís Linhares, o Superintendente de Inovação e Desenvolvimento Interinstitucional da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Vinicius Campos, o Diretor da Fundação Delfim Mendes Silveira, Cesar Bergoli, e o arquiteto da dDM+ Ateliê de Arquitetura, responsável pelo projeto arquitetônico do Hub de Inovação, Tiago Dionello.

Estratégias e projeções do hub 
O projeto arquitetônico do Hub de Inovação foi baseado no funcionamento de outros espaços de inovação e laboratórios universitários. Projetado para uma estrutura de quatro andares, o local contará com ambientes para startups, empresas de médio porte, um espaço da Lifemed e laboratórios de biotecnologia, que deverão estar alinhados com licitações e qualificações junto à Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

De acordo com Gilmar Bazanella, Secretário da SDETI, a participação do setor privado em projetos integrados é essencial para o desenvolvimento regional, assim como a academia, que forma profissionais qualificados em duas universidades de ponta no município. “Projetos como esses criam uma sinergia importante, como uma referência para muitos outros setores além da saúde. Temos um longo caminho pela frente, e tenho convicção de que o projeto proporcionará uma maior sustentabilidade para os profissionais e para a área da saúde como um todo”, pontuou o Secretário.

A expansão do Pelotas Parque Tecnológico será marcada pela iniciativa, que, de acordo com Edgar Mattarredona, Diretor Técnico Científico do PPT, será possibilitada por essa aproximação com a indústria, as universidades, parceiros do ecossistema da inovação e pesquisadores. “Pelotas já é um destaque nacional na produção e industrialização de equipamentos na área da saúde, e isso também nos motivou a fazer a composição da proposta para o Finep. A visão empreendedora é um fator importante para o conjunto de ideias do projeto, além da capacidade de atrair investimentos, e para isso, o edital nos traz essa oportunidade”, afirmou Mattarredona.

Para o Diretor Industrial da Lifemed, Luís Linhares, oportunizar a mão de obra regional, a criação de conhecimentos e sustentabilidade são possibilidades ainda maiores a partir do projeto. “O resultado da primeira fase já nos trouxe a percepção do que conseguimos construir até agora. O ecossistema existente é muito receptivo, e encontramos nossas linhas de convergência rapidamente. A Lifemed tem uma história de mais de 40 anos, já aprendeu com muita inovação em diversos vieses, e acreditamos que há espaço para o desenvolvimento de muitas outras soluções”, concluiu o Diretor.

A transformação tecnológica de forma colaborativa que o projeto irá promover é um dos destaques que cita Vinicius Campos, Superintendente de Inovação e Desenvolvimento Interinstitucional da UFPel. Ele lembrou que o próprio termo “ecossistema” tem relação com a biologia, em referência ao equilíbrio de mentes que podem atuar juntas para gerar ambientes para a inovação. “Temos uma área científica muito forte.

na cidade em termos de saúde e biotecnologia. Essas empresas precisam de espaço para trabalhar, não basta apenas ter uma sala vazia, nós precisamos de laboratórios e certificações. A criação de um espaço é justamente para isso. Precisamos tornar a região uma produtora de conhecimento, valorar e comercializar esse conhecimento”, destacou ele, complementando que a força científica e tecnológica da universidade tem muito a colaborar nesse ecossistema.

Sobre o Hub de Inovação em Saúde e Biotecnologia
Coordenado pelo Pelotas Parque Tecnológico, o projeto já foi aprovado na fase de habilitação do Edital Finep e segue agora para as fases seguintes onde concorre nacionalmente em busca de apoio financeiro. Entre os parceiros envolvidos no hub, estão ainda Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), HELPER, IFSUL, Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP), Sindicato das Empresas de Informática do RS (SEPRORGS), Stars Aceleradora, Ventiur Aceleradora, Contronic, Faculdade Senac, Sebrae, Rede SulBiotec, Conselho Superior Socioeconômico de Desenvolvimento e Inovação de Pelotas, Coinpel, CIPEL, Embrapa, Associação Comercial de Pelotas, Universidade Católica de Pelotas, Corede Sul, COPES, Hospital Escola da UFPel (HE-UFPel), APL da Saúde de Pelotas e Região e a Associação dos Municípios da Zona Sul (AZONASUL).

Sobre o Pelotas Parque Tecnológico
O Parque, criado oficialmente em 2016, é gerido pela TECNOSUL – Parque Científico e Tecnológico, uma associação civil sem fins lucrativos de direito privado, caráter científico, tecnológico, educacional e cultural. Possui um Conselho de Administração (Consad), eleito a cada três anos, e atua em três grandes áreas nas quais o município já se destaca como polo: tecnologia da informação e comunicação; tecnologia em saúde e indústria criativa. Atualmente, 63 empresas atuam no Pelotas Parque Tecnológico, sendo 23 instaladas nas áreas geridas pelo Parque, sete no coworking, 15 incubadas, 18 pré-incubadas. Entre as incubadoras estão a Conectar, Incubadora de Base Tecnológica da UFPel; CIEMSUL, incubadora de empresas multissetorial da UCPel e SENATEC, destinada às empresas júnior. Ainda, existem 23 instituições parceiras. O Parque oferece espaço coworking, com área gastronômica para 55 pessoas, auditório para 230 pessoas, duas salas de reunião e capacitações e estacionamento para 65 carros. Ao todo, o Pelotas Parque gera 267 empregos diretos e 638 indiretos

Comentários