DO JORNAL DO COMÉRCIO: VOOS JÁ OPERAM EM NOVA PISTA NO AEROPORTO SALGADO FILHO

Obras de ampliação começaram em março de 2018 e compreendem uma série de adaptações FRAPORT BRASIL/DIVULGAÇÃO/JC

Entrou em operação, na quinta-feira, 19.05, em Porto Alegre, o novo traçado da pista do Aeroporto Salgado Filho. Após investimentos de R$ 135 milhões, a estrutura passou a contar com 3,2 mil metros de extensão – cerca de 920 metros a mais.

Parte das melhorias atribuídas à Fraport Brasil pelo contrato de concessão firmado com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), as obras da pista deveriam ser entregues em dezembro de 2021. Entretanto, devido à pandemia de Covid-19 e o consequente atraso na desocupação de parte da área da Vila Nazaré, que ficava dentro do sítio aeroportuário, a Agência concedeu mais oito meses de prazo para a conclusão dos trabalhos. As obras de ampliação da pista começaram em março de 2018 e compreendem uma série de adaptações e projetos que vão além da extensão em si. Em dezembro de 2018, foi entregue a nova via de taxiamento (taxiway) P, o que facilitou o fluxo de aeronaves nos pátios 1 e 2, especialmente as de grande porte, que operam voos internacionais.
No primeiro trimestre de 2019, foram entregues a subestação de energia 2, dedicada ao Terminal de Passageiros, a reforma da Resa (área de segurança de final de pista) da cabeceira 11, e uma série de melhorias nos pavimentos de pistas de taxiamento, acostamentos, muro perimetral e instalação de novas cercas operacionais para prover maior segurança às áreas de movimento de aeronaves.
Em outubro de 2021, iniciaram as obras na área da Vila Nazaré. Foi instalado um muro perimetral e realizada a supressão vegetal. O local passou por duas etapas de limpeza. Foram retiradas 28.388 toneladas de dejetos ao custo de mais de R$ 4,5 milhões. Também foi construída a Resa (área de segurança de final de pista) da cabeceira. A pista de pouso e decolagem anterior, com 2.280m, permitia operações com alcance máximo de 9.000km, mas com a capacidade máxima de passageiros e carga aérea limitada (75%). A ampliação para 3.200m permitirá operações de carga completa a uma distância de cerca 12.000km.
Com a ampliação da pista, o aeroporto poderá receber aeronaves dos tipos: B747.400 – 13.450km de autonomia e peso aproximado de 397 toneladas (combinando passageiros, carga e fuselagem), B777.300ER – 11.120km de autonomia e peso aproximado de 300 toneladas (combinando passageiros, carga e fuselagem) e A330-900 – 13.334km de autonomia e peso aproximado de 251 toneladas (combinando passageiros, carga e fuselagem). A extensão será um diferencial para a indústria gaúcha, que hoje precisa transportar a maior parte da sua produção por rodovia até São Paulo para, então, seguir ao destino por via aérea ao destino no exterior.

Comentários