ESPECIAL DE DOMINGO: ANTAQ FAZ AVALIAÇÃO POSITIVA APÓS VISITA AO TERMINAL LOGÍSTICO DO ARROZ

VISITA ACONTECEU DURANTE A ÚLTIMA SEMANA

O chefe da unidade regional da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), José Allama, visitou, na última semana, as instalações do Terminal Logístico do Arroz (TLA), onde funcionavam os silos da extinta Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa). A estrutura, que é a primeira em todo o país dedicada exclusivamente ao arroz, concluiu recentemente o primeiro embarque do grão que teve como destino a Costa Rica.

O ponto inicial da visita foi o pátio interno, onde os caminhões ingressam para fazer a pesagem e realizar o descarregamento, no chamado tombador. Na oportunidade, Allama foi acompanhado pelo supervisor de manutenção e de segurança no trabalho do TLA, Fernando Medina, e pelo diretor de infraestrutura e operações da Superintendência dos Portos do Rio Grande do Sul (Portos RS), Jeferson Dutra.

Já no interior da estrutura, formada por nove pavimentos, José Allama conheceu a Central de Comando e Controle do terminal, local de onde partem todos os comandos operacionais da estrutura. No local, Medina apresentou os antigos painéis de controle utilizados pela Cesa, os quais foram mantidos para a preservação da história do espaço, pois atualmente ele é completamente automatizado.

Na sequência, o representante da Antaq caminhou pela galeria de esteiras e foi informado sobre o funcionamento de todo o sistema. De lá foi possível se ter uma ideia do caminho que é percorrido pelo grão desde o silo de armazenagem até o porão do navio. A automatização do serviço permite trazer mais agilidade para as operações e menos danos ao arroz que é movimentado.

Ao final da visita, Allama fez uma avaliação positiva do que foi visto no local. “É interessante ver a estrutura que está sendo reativada. É uma exploração ainda transitória, mas que se percebe que apresenta um potencial enorme a ser utilizado, com adaptação das estruturas e a renovação de equipamentos. Pareceu-me uma proposta bem desafiadora para o empreendedor”, explicou ele.

A ANTAQ teve papel fundamental para que os silos de Rio Grande pudessem ser retomados pelo Porto. “A Agência fez um trabalho de regularização de ocupação e exploração de áreas portuárias federais no Rio Grande do Sul, no qual se identificou irregularidades na exploração da Cesa, entre outras. Depois de muita negociação e pressão junto ao proprietário anterior, os espaços foram liberados e a autoridade portuária teve condições de buscar um empreendedor que pudesse utilizá-los de uma forma mais eficiente e rentável”, concluiu Allama.

Comentários