PRESIDENTE DA FIERGS ABRE CICLO DE REUNIÕES DO CIPEL

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, realizou uma palestra on-line para os associados do Centro das Indústrias de Pelotas (Cipel), nessa quinta-feira. O presidente da FIERGS lembrou que, no mês passado, completou-se um ano de pandemia, com a economia brasileira e gaúcha prejudicada pelo “efeito sanfona”, de constante abre e fecha imposto a diferentes setores por conta das medidas de isolamento.

Em sua apresentação aos empresários de Pelotas e região, Gilberto Porcello Petry falou sobre a expectativa para as reformas estruturais que o Brasil necessita: “A pauta de reformas ainda não andou este ano, e surge o debate daquela que virá antes da outra: primeiro a Reforma Administrativa e depois a Tributária, ou primeiro a Tributária?”. O presidente da FIERGS afirmou que essas reformas são fundamentais para o País, e que a administrativa irá tirar o excesso de peso da gestão pública. Ele também vê uma série de sinalizações positivas nos últimos resultados da economia brasileira a apontar para uma retomada do crescimento no País.

Gilberto Porcello Petry lembrou haver um documento em elaboração pela CNI que irá apresentar ao Governo Federal e aos Parlamentos uma série de propostas para o “Brasil voltar a crescer”. “O objetivo da Confederação é de que a economia brasileira cresça no mínimo a uma taxa de 3% ao ano nos próximos 10 anos”, ressaltou, dizendo que as propostas logicamente incluirão as Reformas Tributária e Administrativa, programas de financiamento para a modernização industrial e regulamentação do Sistema Nacional de Garantias de Crédito, juntamente com a continuidade da modernização das Relações de Trabalho. “Todas as Federações de Indústrias estão participando e, logicamente, o Cipel pode encaminhar à FIERGS as suas propos tas para uma avaliação”, afirmou.

O presidente do Cipel, Amadeu Fernandes, comentou sobre o otimismo que vive a Região Sul do Estado. Com o leilão de concessão do Aeroporto de Pelotas essa semana e a previsão da entrega da duplicação da BR-116 até março de 2022, além do Porto de Rio Grande, um dos principais do País, Fernandes acredita que a região poderá atrair muitos investimentos no futuro.

Comentários