ESPECIAL DE DOMINGO: ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ ACONTECE NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA, 09

EVENTO ACONTECE DE 9 A 11 DE FEVEREIRO, EM CAPÃO DO LEÃO

“Os Novos Rumos do Sistema de Produção” é o tema da 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas, que inicia na próxima terça-feira (9) e se estende até a quinta-feira (11), na Estação Experimental Terras Baixas (EETB), da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão. Este ano, por conta da pandemia de coronavírus, o evento será híbrido, presencial e pela internet. Segundo os organizadores, haverá uma limitação de 1,2 mil pessoas por dia, no evento, que abrange uma área total de nove hectares. A visita às vitrines tecnológicas, roteiro técnico e lavouras será diariamente, das 7h30 às 12h30.

O ato da abertura oficial ocorrerá na quinta-feira (11), a partir das 14h, e tem a presença confirmada do vice-presidente da República, General Amilton Mourão, e também da ministra da Agricultura, Teresa Cristina, através de intervenção online. Segundo os organizadores, serão adotados protocolos para garantir a segurança dos participantes, tais como cadastramento antecipado e exclusivamente online, medição de temperatura, áreas diferentes para ingresso e saída do parque, uso obrigatório de máscaras e disponibilização de álcool gel.

No primeiro dia, destaque para a reunião da Câmara Setorial Nacional do Arroz, às 9h30, no auditório “Frederico Costa”, que será inaugurado no mesmo dia, às 13h30. O auditório será ampliado para área externa, com 300 metros quadrados, obedecendo às medidas de distanciamento social. Os estandes tanto da feira quanto das vitrines tecnológicas serão totalmente abertos.

A programação inclui oito painéis que irão discutir assuntos como o futuro da produção, as opções em sistemas de irrigação, tecnologia e inovação na prática no dia a dia do campo, perspectivas de mercado para o arroz, soja, milho e pecuária, intensificação dos sistemas produtivos, agricultura de precisão, intensificação de pecuária a pasto, entre outros. O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, destaca ainda temas como logística com questões estratégicas para exportação, além das questões fundamentais envolvendo o meio ambiente. “Será uma programação imperdível para o produtor que quer intensificar o seu sistema de produção”, salienta.

Nos debates do primeiro dia, está o fomento à irrigação como seguro da diversificação. A irrigação foi um dos temas mais discutidos no último ano no setor agropecuário gaúcho, devido à estiagem ocorrida na safra passada e que também trouxe preocupações no início deste período de verão, o que colocou o assunto no centro das discussões dos produtores.

Desde a última edição, a irrigação é considerada um de seus pontos de segurança para as lavouras. Neste ano, um painel discutirá o assunto na tarde do dia 9 de fevereiro. O ex-presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Henrique Dornelles, será o mediador do painel “A Irrigação como Seguro da Diversificação”. “Ano após ano a gente observa que mesmo não havendo uma forte estiagem de dias sem chover, mesmo em um pequeno número de dias, a seca fica perceptível devido às altas temperaturas”, ressalta.

No roteiro técnico será mostrado o quanto a atividade orizícola vem se diversificando com a integração lavoura-pecuária. Com a soja sempre muito presente, a pecuária em uma área nova traz diversas espécies forrageiras para diferentes cenários dentro do estado e novas culturas começam também a ter espaço, como é o caso do milho. Estarão presentes as principais universidades federais ligadas ao setor agropecuário como a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Também estará presente a Epagri, de Santa Catarina, para atender ao público do pré-germinado que tem muita representatividade, principalmente na Região Central e no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Embrapa e o Irga estarão no evento, além das principais multinacionais do setor.

As empresas e instituições que estarão participando das vitrines tecnológicas são: Irga, Embrapa, Epagri/SC, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, UFSM, Ufrgs, Basf, FMC, SuperN, Ihara, Netafim, Zimmatic, RiceTec, Syngenta, FTSementes, Bayer, Pioneer, Brevant Sementes, Compass Mineralks, PGG Wrightson, Adama, Sindag e Morgan.

A 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas é uma realização da Federarroz, e tem a correalização da Embrapa e o patrocínio premium do Instituto Riograndense do Arroz (Irga) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A programação completa está disponível no site do evento em www.colheitadoarroz.com.br .

UNIVERSIDADES MARCAM PRESENÇA EM ROTEIRO TÉCNICO DA ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ

O roteiro técnico que faz parte da programação da 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas vai mostrar este ano o quanto a atividade orizícola vem se diversificando com a integração lavoura pecuária. A soja sempre muito presente, a pecuária em uma área nova traz diversas espécies forrageiras para diferentes cenários dentro do Estado e novas culturas começam também a ter espaço, como é o caso do milho.

O coordenador do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) na Zona Sul, André Matos, informa que a questão da irrigação está sendo trabalhada fortemente na soja. “A área com o grão vem crescendo ano a ano e a ideia é que se tenha cada vez mais ferramentas de irrigação para evitar perdas por estiagem. São prejuízos verificados em diferentes níveis, mas sempre se perde produtividade de soja por déficit hídrico”, observa, salientando que no evento será abordada a irrigação em vários sistemas, como por inundação, subterrânea e aspersão. Em relação ao milho, destaca que a cultura está sendo trabalhada pelo Irga e sempre de maneira irrigada. “Sabemos que o investimento é muito alto e que a  irrigação no milho é praticamente obrigatória”, afirma.

Matos ressalta, ainda, a presença no Roteiro Técnico das principais universidades federais ligadas ao setor agropecuário como a Ufrgs, UFSM e Ufpel. “Também estará presente a Epagri de Santa Catarina para atender ao público do pré-germinado que tem muita representatividade, principalmente na Região Central e no Litoral Norte do nosso Estado”, enfatiza, lembrando que todos os anos a Embrapa e o Irga estão presentes no evento, além das principais multinacionais do setor.

As  empresas e instituições que estarão participando das vitrines tecnológicas são: Irga, Embrapa, Epagri/SC, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, UFSM, Ufrgs, Basf, FMC, SuperN, Ihara, Netafim, Zimmatic, RiceTec, Syngenta, FTSementes, Bayer, Pioneer, Brevant Sementes, Compass Mineralks, PGG Wrightson, Adama, Sindag e Morgan.

Com o tema “Os Novos Rumos do Sistema de Produção”, a 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz ocorrerá de 9 a 11 de fevereiro em formato híbrido, com opções on-line no site do evento e presencial na Estação Experimental Terras Baixas, da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS). A realização é da Federarroz, correalização da Embrapa e patrocínio premium do Irga e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Informações e inscrições podem ser feitas em www.colheitadoarroz.com.br ou pelo aplicativo Colheita do Arroz.

Comentários