SAGRES AGENCIAMENTOS MARÍTIMOS – PRESENTE NA LOGÍSTICA DOS PORTOS DO PAÍS

A Sagres Agenciamentos Marítimos foi fundada em outubro de 2002. Em fevereiro de 2010, em função das oportunidades e necessidades de crescimento, parte da empresa foi adquirida pelos grupos Ultramar/Chile e Schandy/Uruguai, consolidando a participação no mercado. Foto Nauro Júnior.

A Sagres Agenciamentos Marítimos foi fundada em outubro de 2002. Em fevereiro de 2010, em função das oportunidades e necessidades de crescimento, parte da empresa foi adquirida pelos grupos Ultramar/Chile e Schandy/Uruguai, consolidando a participação no mercado. A empresa atua no ramo de navegação, principalmente nos seguintes segmentos:

  • Agenciamentos marítimos;
  • Operações portuárias;
  • Manuseio de carga/THC e armazenagem;
  • Centro de Processamento de Veículos – VPC;
  • Locação de equipamentos;
  • Logística internacional;
  • Serviços industriais;
  • Terminais:
  • TLRG – Terminal Logístico Rio Grande;
  • TLP – Terminal Logístico Pelotas;
  • TLG – Terminal Logístico Guaíba.

A Sagres Agenciamentos Marítimosa está presente nos portos de Rio Grande, Pelotas, Guaíba, Porto Alegre e Imbituba, com escritórios próprios em cada um desses portos. Nossos principais clientes são exportadores e importadores, bem como armadores de embarcações de navegação de longo curso, interior e cabotagem. Os diferenciais da empresa estão no know how das operações logísticas de exportação/importação de mercadorias e na competitividade do modelo operacional praticado.

O projeto de revitalização do Porto de Pelotas contou diretamente com a participação da Sagres e dá bons frutos para o mercado de trabalho. As operações no Terminal de Toras geraram centenas de novos empregos diretos e indiretos. A contratação de mão-de-obra local foi uma das premissas do projeto de fomento à hidrovia que tem a frente a Sagres Agenciamentos Marítimos e CMPC e conta ainda com investimentos em obras de melhorias na orla portuária. As empresas aliadas ao projeto fazem coro aos dados positivos, como a BBM Logística, responsável pelas operações de transporte e carregamento de toras. Com sede já instalada no município de Capão do Leão, a empresa movimenta a região com os investimentos de infraestrutura – que ultrapassaram R$ 1 milhão.

Em relação as obras realizadas pela Lamb Engenharia, no Terminal de Toras, além de mão de obra foram necessários suprimentos, ferramentas, equipamentos e serviços. Para enfatizar a preferência pelos locais, a CMPC organizou “Rodada de Negócios”, com o objetivo de elencar fornecedores de materiais e serviços prioritariamente de empresas de Pelotas. Enquanto isso, a seleção para o preenchimento de vagas foi feito através do SINE de Pelotas e Capão do Leão, com postos de trabalho para diversos segmentos, desde apoio e carregamento na região florestal, transporte, administrativo até operação portuária.

PORTO DO RIO GRANDE CONTA COM GUINDASTE PARA ATÉ 100 TONELADAS

A Sagres Agenciamentos Marítimos conta com um guindaste de última geração em Rio Grande. O equipamento é utilizado na descarga de barcaças de celulose nas operações coordenadas pela empresa no Porto do Rio Grande. O presidente da CMPC Celulose Riograndense, Maurício Harger, ressalta a importância do equipamento para o aumento da produtividade e eficiência das operações da empresa. “Desejamos sucesso a estes parceiros que há tantos anos operam junto à CMPC, que investem constantemente em infraestrutura para o aumento de produtividade, que é o que almejamos”, ressaltou
O equipamento da marca Konecranes/Gottwald tem capacidade para até 100 toneladas, com alcance de 46 metros. Um dos diferenciais do novo guindaste é a maior agilidade, com menor consumo de combustível

A eficiência operacional do guindaste permite a movimentação de 500 toneladas de celulose por hora. Investimentos deste porte ampliam ainda mais a capacidade de competitividade. O guindaste foi importado da Europa e opera no Porto do Rio Grande desde 2018.

Comentários