SUPERMERCADOS ACUMULAM CRESCIMENTO DE 5,63%

Prateleira de azeites do Supermercado Santa Luzia, na Al Lorena. FOTO: HÉLVIO ROMERO/AE

SETOR FOI FAVORECIDO POR MEDIDAS DO GOVERNO FEDERAL, COMO O AUXÍLIO EMERGENCIAL, PARA ALAVANCAR O CRESCIMENTO DAS VENDAS

De janeiro a maio o setor supermercadista acumulou alta real de 5,63% na comparação com o mesmo período de 2019, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados – Abras, apurado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da entidade. No mês de maio, o setor registrou crescimento de 11,93% em relação a maio do ano anterior, e alta de 3,75% na comparação com abril. Os valores são deflacionados pelo IPCA/IBGE.

“Com a chegada da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e o isolamento social, as pessoas intensificaram suas compras de abastecimento com o intuito de estocar produtos e sair menos de casa. Por isso, o aumento nas vendas nos últimos meses já era esperado pelos empresários do setor”, declara o presidente da Abras, João Sanzovo Neto.

Sanzovo destaca ainda que as medidas do governo federal para amenizar os impactos da pandemia na economia, principalmente o auxílio emergencial, também têm refletido no crescimento das vendas dos supermercados. Mesmo assim, não descartou os impactos da queda do poder de compra da população no setor gerados pelo aumento do desemprego no país.

Comentários