ESTADO DISCUTE COM SINDICATO TRANSFORMAÇÃO DA SUPRG NA EMPRESA PÚBLICA PORTO RS

    O governador Eduardo Leite, o superintendente Fernando Estima e o secretário Claudio Gastal receberam os representantes do sindicato – Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

    Ao dar sequência aos encontros com entidades, empresas e envolvidos com o Porto de Rio Grande e os terminais hidroviários gaúchos, o governador Eduardo Leite recebeu, na quarta-feira (4/12), representantes do Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Portuários de Rio Grande (Sindiporg), no Palácio Piratini.

    Com participação do superintendente Fernando Estima e do secretário de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal, a reunião foi pautada pelo projeto de lei do Executivo que autoriza a transformação da autarquia Superintendência do Porto de Rio Grande (Suprg) em empresa pública, denominada de Porto RS.

    “Acreditamos que o nosso principal Porto (que é o de Rio Grande) e todo o sistema hidroviário gaúcho pode se beneficiar com essa mudança de gestão, para garantir mais autonomia financeira e administrativa, ampliar a capacidade de investimento em necessidades operacionais com menos burocracia, beneficiando todo o sistema logístico do RS e, por consequência, a competitividade do Estado na atração de empreendimentos”, destacou o governador, acrescentando que a Suprg é a última autoridade portuária no país a ser autarquia.

    Conforme o presidente do Sindiporg, Rui Eduardo da Fonseca Mendes, a categoria concorda com a mudança, por acreditar que trará benefícios ao complexo portuário, mas faz alguns pedidos, como um programa de incentivo à aposentadoria dos servidores durante a transição e a manutenção de parte dos trabalhadores no quadro.

    Leite prometeu incluir as demandas nos estudos que serão feitos, conforme prevê a minuta do PL, nos seis meses após aprovação pela Assembleia de estudos para analisar o estatuto dos funcionários da Porto RS.

    Estima destacou que o governo está de “portas abertas” e que já foram realizadas diversas reuniões, como com a Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (Snpta), a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), e entidades sindicais e empresariais. “A minuta está em fase final de conclusão e pode ser apresentada ainda este ano aos deputados, mas não temos pressa em sua análise. Priorizamos a construção do melhor projeto”, afirmou o superintendente.




    Comentários