PREFEITOS DA ZONA SUL CLAMAM POR MAIS ATENÇÃO DO ESTADO E UNIÃO

    Prefeitos da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) seguem hoje (5) para Porto Alegre onde cumprem agenda de audiências com os secretários estaduais: Otomar Viviam, da Casa Civil e Agostinho Meirelles, da Articulação e Apoio aos Municípios, para cobrar  mais atenção à região e ajuda emergencial para resolver os estragos provocados pelas chuvas. As articulações e estratégias a serem seguidas foram definidas ontem (4) pela manhã durante reunião de mobilização, em Pelotas, entre os chefes do Executivo, deputados e Defesa Civil. A expectativa é de que o governador Eduardo Leite também receba a c omitiva da região.

    Até o momento, as prefeituras de Canguçu, Pedras Altas, Arroio Grande e São Lourenço do Sul e Piratini anunciaram a decretação de situação de emergência, os demais prefeitos estão com equipes trabalhando no levantamento dos estragos para avaliar a possiblidade do decreto. “A situação é grave em todas as localidades. Não temos recursos para  custeio ou recuperação das avarias em pontes e estradas, onde os problemas são mais acentuados. Precisamos que o governo estadual envolva-se no problema e busque conosco recursos federais”, disse o presidente da Azonasul, Mauro Nolasco (PT), prefeito de Capão do Leão.

    Durante as reuniões, será apresentado um documento reivindicatório coletivo apontando as dificuldades atravessadas pelas administrações e alguns números pontuais de vias com problemas e pontes interditadas. Dentre os pedidos em âmbito estadual, a Azonasul reivindica a homologação dos decretos de emergência; a transferência de recursos para a recuperação das estradas vicinais; recuperação das rodovias estaduais danificadas pela chuva; cedência de maquinário para melhorias de estrada e, principalmente, o protagonismo do Governo do Estado para a liberação de recursos federais aos municípios. Já para o governo Federal, o documento solicita prioridade no pagamento das emendas parlamentares aos municípios da região que estejam cadastrados no sistema da defesa Civil; liberação de recursos e linhas de crédito e recursos para a recuperação de pontes e estradas.

    O documento, redigido durante a reunião, busca contemplar os anseios relatados pelos prefeitos e sugestões apresentadas pelos deputados. Na ocasião, a maioria dos gestores municipais relatou dificuldade em homologar os decretos de situação de emergência e reclamou da burocracia estadual e federal para a liberação de auxílio às cidades afetadas.

    SAÚDE – Os prefeitos da Azonasul também terão agenda as 17h, com a secretária estadual de Saúde, Arita Bergman, para discutir a implementação da Planificação e o novo formato de financiamento da atenção básica à saúde. As duas pautas estão gerando insegurança por parte dos gestores, que buscam o esclarecimento de dúvidas.




    Comentários