AZONASUL DISCUTE TRANSTORNOS CAUSADOS PELAS CHUVAS

    08.02.2017 – Prefeita Paula Mascarenhas participa de reunião dos prefeitos da Azonasul – Foto: Gustavo Vara

    Prefeita Paula Mascarenhas apresentou a situação de Pelotas em reunião

    A Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) se reuniu para analisar as situações de calamidade nas cidades da região e os transtornos causados em decorrência das chuvas das últimas semanas. A prefeita Paula Mascarenhas apresentou os danos registrados em Pelotas e disse que não deverá decretar situação de emergência. Outubro registrou três vezes mais chuva do que a média esperada para o mês, volume esse que trouxe problemas, principalmente, às vias do município. Cerca de mil quilômetros de estradas de chão – 400 na zona urbana e 600 na rural – foram afetados pelas precipitações. Ainda na zona rural, a Prefeitura registrou problemas em oito pontes.
    As vias pavimentadas que foram atingidas exigem 250 toneladas de asfalto para serem recuperadas. A prefeita apontou que 19 pessoas ficaram desabrigadas, devido à alta do nível do canal São Gonçalo. “Os desalojados começaram a voltar para suas casas porque o São Gonçalo começou a baixar no sábado, mas hoje a notícia é de que ele está subindo, lentamente. Ou seja, nós estamos em alerta”, afirmou Paula. A gestora ressaltou que Pelotas não foi o município mais atingido, mas que pelo tamanho da cidade os problemas encontrados são grandes. Destacou ainda que a tendência é de que não seja decretada situação de emergência, ao menos por enquanto.
    “Acho que a gente não pode vulgarizar o decreto de emergência, porque isso tende a enfraquecê-lo. Os municípios que decretaram foram mais fortemente afetados do que Pelotas em extensão de danos. Vamos buscar as soluções. Me solidarizo com os demais municípios; estamos juntos”, disse a prefeita. A Defesa Civil regional orientou os prefeitos na coleta de materiais para o pedido de recursos ao governo do estado e federal, que pode ser protocolado em até uma semana. Os gestores, todavia, cobraram mais agilidade das demais esferas, a fim de que as verbas cheguem em tempo hábil.
    Na terça-feira (5), a Azonasul participou de reunião com a Defesa Civil estadual e o secretário de Obras e Habitação do Rio Grande do Sul, José Luiz Stédile. Deputados que representam a região foram convidados a participar.



    Comentários