MUNICÍPIO LIBERA LICENÇAS PARA INSTALAÇÃO DA HAVAN EM PELOTAS

Entrega da licença ambiental e alvará de instalação para as Lojas Havan – Foto Michel Corvello

Mais de 400 postos de trabalho deverão ser criados com a abertura dos empreendimentos, além das vagas indiretas na construção dos prédios

A Prefeitura entregou a representantes das Lojas Havan, na manhã de terça-feira (25), o termo de compromisso ambiental e o alvará de licença que dão o aval para a instalação do empreendimento em Pelotas. A empresa já pode iniciar a construção de sua sede, junto ao Jockey Club – na avenida Zeferino Costa, zona norte -, e a expectativa é de que, em no máximo quatro meses, abra as portas.
Cerca de 430 vagas de emprego deverão ser criadas, 150 na Havan, 30 na praça de alimentação e outras 250 no Comercial Zaffari, informou o sócio do empreendimento, Nilton Hang. Ele explicou também que a mão de obra pelotense vai ser procurada para a construção.
“Nossa empresa de pré-moldados é local e todo o material de construção é comprado aqui. As terceirizadas também contratam empresas locais, e todos os nossos colaboradores da Havan são da região. Só vem o gerente de fora”, disse.  Conforme a prefeita Paula Mascarenhas, as secretarias de Gestão da Cidade e Mobilidade Urbana (SGCMU) e de Qualidade Ambiental (SQA) trabalharam com afinco na análise dos projetos e na liberação das licenças para a instalação, cumprindo todas as exigências legais. “Fomos ágeis e concluímos o processo em pouco tempo porquê sabemos da importância desse empreendimento pra nossa cidade e região. Sobretudo para a geração de emprego e renda, que é uma preocupação da nossa população e uma necessidade do município”, enfatizou a chefe do Executivo Municipal.
Em 15 dias as equipes conseguiram aprovar os projetos apresentados e regularizados, após ser atestada sua viabilidade. Essa rapidez, acrescentou a prefeita, tem como objetivo valorizar quem produz, criando um ambiente atrativo e acolhedor para novos investidores e para aqueles que estão aqui instalados. Além disso, foram avaliados pela SGCMU os estudos de impacto viário, de vizinhança e de segurança publica. Estes três detectaram uma série de ajustes, como a pavimentação de vias auxiliares e sinalização, que o projeto das Lojas Havan deverá financiar. Entre as contrapartidas estão o plantio de árvores em avenidas ou em praças, bem como as medidas mitigatórias do plano viário, o que auxilia no desenvolvimento da região e minimiza os impactos da construção.
A assinatura dos documentos ocorreu na SQA, com a presença dos secretários de Gestão da Cidade e Mobilidade Urbana, Jacques Reydams, e Qualidade Ambiental, Felipe Perez.



Comentários