ANÁLISE DE FRANQUEABILIDADE ABRE CAMINHO PARA NOVOS NEGÓCIOS

O diagnóstico realizado pelo Sebrae RS atende MPEs de todo o Estado

O segmento de franquias é um dos que mais cresce no Brasil. Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) indicam que, no primeiro trimestre de 2019, o setor apresentou um faturamento superior ao do varejo, alcançando R$ 41,464 bilhões, enquanto o varejo faturou R$ 38,762 bilhões. E as projeções para o ano continuam apontando para bons resultados com previsão de crescimento de 8% a 10% no faturamento, de 5% a 6% no número de redes e de 5% na evolução do emprego. Os números são tentadores, mas como identificar se a sua empresa possui as características para se tornar uma boa franquia?

Para contribuir nessa etapa, o Sebrae RS oferece o projeto de análise de franqueabilidade. O gestor de projetos do Sebrae RS Rodrigo Baierle Silva informa que a etapa de análise é composta por consultoria in loco, que auxilia o empresário a identificar se a sua empresa possui as características para se tornar uma boa franquia. É realizado um diagnóstico para identificar e propor melhorias em alguns pontos, tais como marca e imagem, processos, maturidade do negócio, potencial de mercado, viabilidade financeira, perfil empresarial, entre outros aspectos.

A ação destina-se às MPEs que desejam entender sobre franquias e avaliar se esse modelo é o mais adequado para a expansão do seu negócio. Os empreendedores interessados em participar devem realizar contato com o gestor Rodrigo Baierle, pelo telefone/WhatsApp (51)980-212-962 ou pelo e-mail: [email protected]. O atendimento é feito em todo o Estado e o investimento é de R$ 1.990,00.

Com a análise adequada, o empreendedor poderá fazer parte de um universo que, apenas no Rio Grande do Sul, obteve um faturamento de R$ 9,87 bilhões, o que representou um crescimento de 7,3% sobre o exercício anterior. No Estado, há 503 redes de franquias e um total de 5.400 unidades, com predomínio dos negócios de alimentação, casa e construção, comunicação, informática e eletrônicos. 




Comentários