COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 30.04.2019

    CAMINHOS DA ZONA SUL

    www.caminhosdazonasul.com____________________Paulo Gastal Neto

    Estado criminoso – O Detran-RS liberou os números das estradas gaúchas e as mortes que elas causaram nos últimos doze anos. A BR-116 é a estrada do Rio Grande do Sul, que mais causou mortes. Esta mesmo que os sucessivos governos brasileiros insistem em contingenciar recursos e atrasar cada vez mais a duplicação. É estarrecedor, macabro que entre 2007 e 2018, 13.924 pessoas morreram em rodovias estaduais e federais no RS. E ela, a BR-116, marcada por atrasos nas obras de duplicação, concentra o maior número de mortes no período, segundo os dados do Departamento Estadual de Trânsito. Nesses mesmos 12 anos, 1.273 pessoas perderam a vida nessa estrada federal, a BR-116. Na segunda colocação do ranking, figura outra estrada federal, a BR-386, com 1.087 vítimas. O Detran ainda não possui o balanço parcial deste ano e o levantamento leva em conta mortes ocorridas até 30 dias após o acidente.

    ***

    Aos poucos – Os pelotenses acostumados com o queijo mussarela da Danby Cosulati já podem reencontrá-lo. Ele já está disponível na loja da cooperativa na Praça 20 de Setembro, em formato de barra 04 quilos.  A expectativa é que logo em seguida ele comece a ser distribuído em vários pontos de comercialização da cidade, inclusive em embalagens menores de maneira fatiada. Existe também a previsão da volta ao mercado do queijo lanche, o que deve ocorrer na segunda etapa do processo. O fato é marcante para a cooperativa dentro do planejamento de retomada e ampliação da atividade produtiva, pois desde 2015 o queijo Danby Cosulati não era encontrado nas prateleiras dos comércios da cidade e região. Somado ao mix atual, o queijo mussarela pode ser encontrado juntamente com o doce de leite, manteiga, nata em balde, leite UHT integral, desnatado e semidesnatado, na loja Danby Cosulati da Praça 20 de Setembro, entre o IFSul e a CEEE, com horário de funcionamento das 08h30min às 11h30min e das 13h até 18h de segunda à sexta–feira.

    ***

    Retomando com força – A Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural tem incentivado uma alternativa que já foi corriqueira e altamente favorável à economia gaúcha: É a exportação de ‘gado em pé’! A modalidade, que é consolidada no Rio Grande do Sul já exporta para a Turquia e países árabes cerca de 120 mil animais por ano – média histórica de 1% do rebanho gaúcho de 12,7 milhões de cabeças. A exportação de gado vivo é uma operação logística complexa e há uma exigente fiscalização sanitária e cuidados com o bem-estar dos animais desde a propriedade, período de quarentena e embarque no Porto do Rio Grande. O embarque mais recente movimentou 9.359 animais dos municípios de Capão do Leão e Rio Grande que foram no navio Kenoz, com destino ao Egito. A operação envolveu 190 cargas de caminhão fazendo o translado dos animais desde dois EPEs (estabelecimentos pré-embarque) até o porto. A viagem marítima tem duração de 21 dias, de Rio Grande até o porto egípcio de Damietta, às margens do Mediterrâneo. Em 2018, 168.833 mil cabeças saíram do RS para o exterior, enquanto em 2017 foram 85.678.

    ***

    Decepção – O ‘coelhinho’ não foi lá essas coisas este ano. Contrariando todas as expectativas positivas que antecediam a Páscoa, os supermercados gaúchos não registraram crescimento nas vendas em 2019, na comparação com o ano passado. O balanço divulgado pelo presidente da Associação Gaúcha de Supermercados, Antônio Cesar Longo, apontou para uma estagnação na comercialização de itens típicos para a ocasião, como ovos de chocolate, bombons e outros alimentos para as comemorações em família. Embora não tenham atingido as estimativas para a Páscoa, os supermercados do Rio Grande do Sul já preparam seus estoques de caixas de bombons, flores, bebidas e carnes para churrasco, tradicionais itens procurados massivamente pelos consumidores no Dia das Mães.

    ***

    Tecno – A Vantum, empresa de sensoriamento remoto, é a mais nova incubada na Conectar, Incubadora de Base Tecnológica da UFPEL. O evento de oficialização ocorreu no Parque Tecnológico, e contou com a presença do reitor da Universidade Federal de Pelotas, Pedro Curi Hallal. A Vantum é uma startup de base tecnológica que tem como propósito entregar informações relevantes a partir de sensoriamento remoto, utilizando ciência de dados, disponibilizando uma plataforma online fazendo sempre uso das mais novas tecnologias do mercado. A Startup foi fundada por quatro ex-estudantes da UFPEL, que são Humberto Kaiser, engenheiro de computação e mestrando em computação IoT, Leonardo João, engenheiro de computação e mestrando em computação IoT, Fernando Castanho, engenheiro agrônomo, e Janice Ferreira, engenheira hídrica e mestranda em geotecnologias aplicadas aos recursos hídricos. A empresa começou a funcionar em março de 2019. A Conectar é a incubadora de empresas da Universidade Federal de Pelotas e tem como propósito estimular e operacionalizar a visão empreendedora da comunidade acadêmica e da sociedade em geral. A incubadora trabalha com empresas tradicionais, em duas modalidades, pré-incubação e incubação.

    ***

    Até a próxima!




    Comentários