COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 19.03.2019

 

CAMINHOS DA ZONA SUL

www.caminhosdazonasul.com____________________Paulo Gastal Neto

Expansão – A rede Panvel anunciou que vai abrir mais de 500 novas vagas de emprego em 2019 com a expansão prevista de 41 lojas, que vão ser instaladas na Região Sul do Brasil e em São Paulo. Deste total, 215 vagas já estão abertas no RS, sendo 162 em novas filiais em Porto Alegre.  Os empregos a serem preenchidos até junho serão em 21 filiais novas, dez delas a serem abertas na Capital e Grande Porto Alegre. O restante é no interior do estado. Além da oferta para novas operações, a rede também abrirá empregos temporários no fim do ano. No segundo semestre, os novos estabelecimentos vão se distribuir entre o RS, Santa Catarina, Paraná e São Paulo, mercados em que a Panvel atua. Atualmente, a rede de farmácias tem 316 unidades no mercado gaúcho – 120 em Porto Alegre, 41 em Santa Catarina, 58 no Paraná e cinco em São Paulo. São 420 no total. Com as novas unidades, a rede chegará a 260 filiais, expansão de terá 10% em 2019.

***

Redução – Em recente evento no Capão do Leão, a abertura da colheita do arroz, o governador Eduardo Leite acenou com a possibilidade de reduzir o ICMS de 12% para 7%. Este é um desejo antigo dos produtores e, segundo o governador, já está sendo analisado por uma equipe técnica do governo, com integrantes das secretarias da Agricultura e da Fazenda.

***

Local – Duas agroindústrias da zona rural de Pelotas – Aura Verde e Colonial Fungi – firmaram parceria e criaram produtos alimentícios com ingredientes da sua linha de produção. Hambúrguer de cogumelos e patê de cogumelos caramelizados são as iguarias à disposição dos consumidores, frutos de iniciativas das duas empresas, visando à abertura de novos nichos no mercado. Trata-se de um passo extremamente importante e positivo, que integra duas agroindústrias.  As receitas do hambúrguer congelado de cogumelos e do patê de cogumelos caramelizados foram criadas pela Aura Verde, especializada na produção de molhos e antepastos. No preparo dos novos produtos são utilizados cogumelos das variedades ostra e shimeji – matéria-prima produzida pela Colonial Fungi. Os projetos de implantação das duas agroindústrias foram criados pelo Município, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), que segue prestando acompanhamento. Os empreendimentos são registrados no Serviço de Inspeção Municipal (SIM), vinculado à Secretaria. Com o hambúrguer e o patê, a Aura Verde e a Colonial Fungi conseguem atingir públicos diferentes dos que consomem seus produtos isolados, consolidando a expansão de seus mercados.

***

Largada – Não é mais necessário imaginar como será o mundo completamente digitalizado e conectado – essa jornada já começou. O assunto Indústria 4.0  estará em pauta amanhã, 20 de março, ao meio-dia, na Churrascaria Lobão, para abrir o ciclo anual de reuniões-almoço do Centro das Indústrias de Pelotas (Cipel). O evento terá como palestrante o engenheiro Carlos Artur Trein, diretor de Operações do SENAI/RS,  para tratar sobre: O que é a Indústria 4.0 – conceitos iniciais; a Indústria 4.0 no mundo, tecnologias habilitadoras; cases de implantação de baixo custo no Brasil, em empresas industriais de pequeno porte; breve cenário no Brasil (diagnóstico) e passos para que a empresa implante as tecnologias, a partir do suporte técnico oferecido pelo SENAI gaúcho. As confirmações podem ser feitas diretamente na secretaria do Cipel pelo fone (53) 2123-8052, em horário comercial. As adesões são feitas diretamente no restaurante, no dia do almoço.

***

Números – A Sondagem Industrial, elaborada e divulgada pela FIERGS, mostrou aumento da produção (51,6 pontos) e no emprego (51,9 pontos) em janeiro, crescimentos (acima de 50 pontos) que são incomuns nesse período do ano. A Utilização da Capacidade Instalada registrou 67%, estável com relação a dezembro e o índice de UCI usual cresceu 1,3 pontos (43,9), mostrando, abaixo de 50 pontos, que foi menor que o usual para janeiro. Os estoques recuaram pelo terceiro mês consecutivo, mantendo-se próximo do que foi planejado pelas empresas. O índice de evolução mensal alcançou 48,5 pontos e o planejado registrou 49,5. Os valores expressam, respectivamente, queda (abaixo de 50 pontos) em relação a dezembro e estoques ajustados (próximo dos 50 pontos).

***

Otimismo – Com relação às expectativas dos industriais gaúchos, todos os índices ficaram acima dos 50 pontos, isto é, probabilidades de crescimento. A demanda (63,1 pontos) aumentou pelo quarto mês consecutivo e atingiu o maior patamar desde fevereiro de 2011. Já os índices de emprego (55,4 pontos), compras de insumos e matéria-prima (60,7 pontos) e de exportações (56,3 pontos) caíram em fevereiro com relação a janeiro, mas seguem superiores a 50 pontos. O índice de intenção de investir, porém, após três meses de alta, voltou a cair: 58,3 em janeiro para 52,1 pontos em fevereiro. No mesmo período, o percentual de empresas que planejam investir nos próximos seis meses recuou de 63,5% para 53,8%, mas ainda é maior que o de empresas que não pretendem, que subiu de 36,5% para 46,2%.

***

Até a próxima!




Comentários