ECOVIX PAGA NOVA PARCELA DE OBRIGAÇÕES COM CREDORES

Plataforma produzida no estaleiro da empresa em Rio Grande se tornou líder na extração de petróleo no pré-sal

Dentro do plano de recuperação judicial da Ecovix, a empresa fez novo pagamento de obrigações trabalhistas do estaleiro em Rio Grande. Agora estão sendo pagos R$ 1,17 milhão a ex-colaboradores.  Em setembro, foi quitada a primeira parcela da dívida trabalhista. Foram depositados R$ 650 mil para 163 ex-colaboradores.

O plano de recuperação judicial, homologado pela Justiça em agosto, prevê o pagamento de credores ao longo de dois anos, período em que deve ser constituída uma unidade produtiva isolada (UPI) para retomar as operações em Rio Grande. Cerca de 7 mil toneladas de restos de obras e matéria-prima não utilizadas já foram retiradas do estaleiro, preparando a área para futuras utilizações.

O estaleiro da Ecovix operou até o fim de 2016, quando a Petrobras cancelou contratos para a montagem de equipamentos marítimos. Dois cascos de plataformas fabricados em Rio Grande e entregues para a estatal apresentam, neste momento, resultados bem distintos.

A P-66 entrou em operação 18 meses depois de ter saído de Rio Grande. Em setembro passado, se tornou líder de extração no pré-sal, bem próximo da capacidade de 150 mil barris por dia – o que comprova a qualidade da indústria naval do país.

A P-67, após ter concluído o casco em Rio Grande, tomou rumo diferente. Seguiu para a China em outubro de 2015, para receber módulos de produção. De volta ao Brasil quase três anos depois, deve entrar em operação em dezembro. Se estivesse produzindo há pelo menos 18 meses, teria gerado receita estimada em cerca de R$ 5 bilhões com extração de petróleo.




Comentários