COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL –

CAMINHOS DA ZONA SUL

www.caminhosdazonasul.com____________________Paulo Gastal Neto

Celulose – O novo presidente da CMPC-Celulose Riograndense, Mauricio Harger, esteve em Rio Grande e Pelotas na última terça e quarta-feira, 21. Harger é formado em Engenharia Mecatrônica pela PUC Minas, tem 42 anos, é catarinense e já foi presidente da Mexichem Brasil, dona da marca Amanco. Entre as principais metas no novo gestor, que assume a vaga de Walter Lídio Nunes, que completou 75 anos e, segundo a política da empresa, assume cargo no Conselho é aperfeiçoar a gestão da unidade da CMPC Celulose Riograndense em Guaíba adotando o sistema Lean – que se difundiu a partir de práticas da Toyota, priorizando uma produção enxuta e de combate aos desperdícios.

***

Porto – O novo presidente é enfático ao enfatizar sobre a questão da logística hidroviária para o transporte de celulose no Estado, que utiliza o Porto de Pelotas: Harger salientou que a CMPC já escoa toda a produção exportada por barcaças até Rio Grande e que de lá a carga segue para os seus destinos finais e no seu retorno a Guaíba a madeira é trazida via Porto de Pelotas também por barcaças e, aí, talvez haja potencial para aumentar o tráfego e consequentemente o volume utilizando ainda mais a hidrovia. A informação é extremamente positiva para as economias de Rio Grande e Pelotas.

***

Inauguração – Na ida de Maurício Harger a Rio Grande, a Sagres aproveitou a oportunidade para inaugurar um guindaste de última geração que será utilizado na descarga de barcaças de celulose nas operações coordenadas pela empresa no Porto do Rio Grande. Na ocasião, o presidente da CMPC Celulose Riograndense aproveitou para ressaltar a importância do investimento para o aumento da produtividade e eficiência das operações da empresa.  – “Desejamos sucesso a estes parceiros que há tantos anos operam junto à CMPC, investindo sempre em infraestrutura para o aumento de produtividade, que é o que almejamos”, ressaltou.

***

Poderoso – O equipamento da marca Konecranes/Gottwald tem capacidade para até 100 toneladas, com alcance de 46 metros. Um dos diferenciais do novo guindaste é a maior agilidade, com menor consumo de combustível. A eficiência operacional do guindaste permite a movimentação de 500 toneladas de celulose por hora. O diretor superintendente do Porto do Rio Grande, Janir Branco destacou a importância do equipamento para qualificação estrutural do Porto. “Investimentos deste porte ampliam ainda mais a nossa capacidade de competividade”, destacou.

***

Logística O guindaste foi importado da Europa e chegou ao Porto do Rio Grande em junho. Foram 43 dias de translado, desde o embarque em Rotterdam, na Holanda, até o porto gaúcho. A partir da eficiente atuação da Receita Federal, e a liberação aduaneira, o equipamento passou ao processo de montagem com uma equipe especializada. Depois de 40 dias o passo seguinte foram os testes operacionais, até o início da operação.

***

Prêmio – A Associação Comercial de Pelotas anunciou seus homenageados de 2018 que serão agraciados durante coquetel festivo, dia 13 de setembro. São eles: Comerciante do Ano, o Sr. Ramiro Martins Rodrigues proprietário do Café Áquario e Panificadora Avenida; Mérito de Serviços para a empresa Safras & Cifras, representada por Cilotér Borges Iribarrem, diretor-fundador do grupo; E a Instituição Amiga de Pelotas a Associação Escola Louis Braille, presidida por Dilmar Rodrigues. Esta será a 39ª edição da premiação anual “Comerciante do Ano” e a 19ª edição do prêmio “Mérito em Serviços”, que buscam homenagear profissionais que se destacam em Pelotas. Premiação mais recente da ACP, o título “Instituição Amiga de Pelotas” foi instituído em 2008 como forma de agradecimento às instituições que trabalham em prol da comunidade pelotense.

***

Agro – Acompanhei na última quarta-feira, 22, o lançamento da 92ª. Expofeira de Pelotas.  Momento que contou com a presença de autoridades, apoiadores, parceiros da ARP e que apresentou as atrações programadas para o evento que acontece entre os dias 8 e 14 de outubro, no Parque de Exposições Ildefonso Simões Lopes. Foi dado, mais uma vez, grande destaque aos encontros técnicos que acontecem paralelamente a exposição. Um excelente espaço para a academia da área se aproximar de seu público, principalmente com os jovens que estão cursando os currículos do setor. Outra coisa perceptível é a absoluta união da classe produtora. Um dos pilares do sucesso ano após ano no agronegócio. Imaginem se não tivéssemos um governo usurpador como seria a categoria.

***

Até a próxima!




Comentários