COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ – 08.05.1962

    CAMINHOS DA ZONA SUL

    www.caminhosdazonasul.com____________________Paulo Gastal Neto

    Celulose Riograndense – Assembleia Geral de Acionistas, realizada em Santiago do Chile, a CMPC apresentou a nova imagem corporativa composta por uma renovada logomarca acompanhada pela frase “Nossa fibra” escrita em três idiomas. A nova imagem reflete tanto o principal produto que a Companhia elabora e comercializa, como o espírito que a anima nos distintos países onde mantém suas operações produtivas. A CMPC mantém diálogos permanentes com centenas de comunidades vizinhas às operações da empresa apoiando o desenvolvimento produtivo, conservando 300 mil hectares de florestas nativas no Chile, Brasil e Argentina, estando sujeita aos exigentes e reconhecidos processos de certificação internacional.

    ***

    Nova imagem – Em relação à nova imagem corporativa, o presidente do Conselho Diretor da CMPC, Luis Felipe Gazitúa, explicou que se trata de uma iniciativa coerente ao contínuo processo de inovação que vem desenvolvendo a Companhia. “As empresas não renovam sua imagem apenas por uma questão estética. A CMPC hoje engloba negócios mais amplos e mais próximos ao consumo massivo. Seguimos sendo uma empresa industrial, mas em função dos produtos que vendemos e o relacionamento que mantemos com as comunidades vizinhas às nossas operações fomos desenvolvendo um perfil muito mais próximo às pessoas. Para nós pareceu apropriado que isso fosse refletido na nova imagem corporativa“, explicou Luis Felipe Gazitúa.

    ***

    Sonho – Uma tímida manifestação por parte do Governo do Estado, na semana passada, sobre a demanda da Ecovix em relação ao impasse que envolve o futuro do Estaleiro Rio Grande, serviu para iludir mais um pouco os trabalhadores que sofrem com a bancarrota financeira do Polo Naval. Conforme o prefeito de Rio Grande, Alexandre Lindenmeyer, a expectativa era de que fosse possível garantir uma assembleia da Ecovix com os cerca de 500 credores da empresa e a partir deste encontro chegar a uma solução negociada e não por força de uma decisão judicial, o que em tese, terá celeridade na resposta em curto prazo. O prefeito riograndino ainda tem fé que, se voltar a funcionar num futuro breve, o estaleiro poderá impactar não só a comunidade de Rio Grande e São José do Norte, mas a de todo o Estado. O diretor executivo da Ecovix, Christiano Morales, disse esperar que se definisse pela continuidade da assembleia. Morales garantiu que a Ecovix segue interessada em investir no estaleiro.

    ***

    Realidade – O Porto do Rio Grande constata, anualmente, números expressivos no setor de exportações entre os mais variados nichos de mercadorias. Entre os principais destinos estão a China, Eslovênia, Espanha, Japão e Estados Unidos, respectivamente. A China lidera o ranking e é considerada a principal parceira comercial do Brasil. Movimentou somente no primeiro trimestre 2.299.223 toneladas em carga com destaque para a soja em grão, que até o momento somou 2.009.797 toneladas, ou seja, 87,42% do valor total. A Eslovênia e o Japão, que ocupam o segundo e o quarto lugar no ranking, importaram mercadorias direcionadas entre o primeiro trimestres de 2017 e 2018. A Eslovênia se deteve ao farelo de soja movimentando 233.049 toneladas no primeiro trimestre deste ano, demonstrando um aumento de 47,84% em relação ao mesmo período do ano passado, totalizado em 157.635 toneladas. O Japão, costumeiramente, movimenta cavacos de madeira e celulose no primeiro trimestre do ano, tendo uma constância no valor final. Este ano foram movimentas 164.396 toneladas de carga. A Espanha, dotada em terceiro lugar, movimenta uma gama de produtos variados. Fazendo o comparativo entre os trimestres, os produtos em comum foram apenas a celulose e a madeira cerrada. Neste ano foram movimentadas 166.493 toneladas de carga geral, um aumento de 10,18% em relação ao mesmo trimestre no ano passado. Por fim, os Estados Unidos, em quinto lugar, importou praticamente a mesma quantidade em relação aos trimestres. O valor final neste trimestre foi de 160.659 toneladas movimentadas.

    ***

    Turismo – Um conjunto de iniciativas – intitulado Pelotas Turismo Cultural -, com o objetivo de valorizar as atividades turísticas e culturais do Município, foi a pauta dos secretários de Desenvolvimento, Turismo e Inovação (Sdeti), Fernando Estima, de Cultura (Secult), Giorgio Ronna, com a gerente de projetos do Sebrae, Jussara Argoud, e o proprietário da Charqueada São João, Marcelo Mazza. Para apresentar o andamento dos roteiros que estão sendo elaborados, participaram do encontro os arquitetos e consultores do Sebrae, Vladimir Roman e Ceres Chevallier. A intenção é que os itinerários contemplem o período charqueador da região, com passagem por diversos pontos da cidade como o Centro Histórico, os quilombos e as charqueadas. O projeto Pelotas Turismo Cultural, gerado pela parceria entre Prefeitura e Sebrae, tem se destacado pela dimensão de suas ações com enfoques cultural, turístico e religioso. As atividades envolvem desde a qualificação dos serviços gastronômicos, passam pelo artesanato local e chegam até a construção de rotas turísticas.

    ***

    Até a próxima!




    Comentários