GRUPO DE MINERAÇÃO APORTA R$ 350 MI NO RS

    fosfato

    O grupo de mineração australiano Aguia Resources – com os sócios Forbes & Manhattan e Sulliden Mining Capital – vai instalar uma mina para exploração de fosfato em Lavras do Sul, com investimento inicial de US$ 100 milhões (cerca de R$ 350 milhões, na cotação atual).

    A usina de Lavras terá capacidade de gerar 500 mil toneladas de rocha fosfática ao ano. “Nosso objetivo é atender o mercado brasileiro, que hoje exporta cerca de 50% do fosfato usado em fertilizantes agrícolas”, afirma Fernando Tallarico, diretor da Águia Metais, subsidiária do grupo australiano no Brasil. Mais da metade dos aportes serão destinados a compra de maquinários. “Alguns equipamentos serão importados, mas a indústria nacional nesse setor (de mineração) também é bem desenvolvida”, diz.

    Além da exploração do minério, o grupo estuda verticalizar a produção e atuar com outros componentes usados na produção de adubos. Com isso, os investimentos no local poderiam alcançar os US$ 200 milhões (aproximadamente R$ 700 milhões). A companhia foi fundada com a finalidade de prospectar e explorar usinas minerais no país. A estimativa é de que a mina de Lavras do Sul, a primeira do grupo, entre em operação em dois anos. Próximo ao município, a Aguia estuda ainda a instalação de minas de fosfato em Bagé e Dom Pedrito. “Identificamos a presença do  minério, mas ainda não quantificamos o potencial das localidades“, concluiu Fernando Tallarico.

    RAIO – X

    USINA PODERÁ EMPREGAR CERCA DE 300 FUNCIONÁRIOS;

    70 MILHÕES DE TONELADAS DE MINÉRIO DE FOSFATO SERÁ A CAPACIDADE DE PRODUÇÃO DA UNIDADE SENDO 500 MIL ANO;

    ALGUNS SÓCIOS: FORBES & MANHATTAN / SULLIDEN MINING CAPITAL




    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    um × dois =

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.