Projeto que cria terminal de Tapes será expandido

    Apesar de ainda esperar pelo licenciamento ambiental e por melhorias na infraestrutura da região para começar as obras, o projeto de implantação de um terminal hidroviário em Tapes persiste e, inclusive, foi aprimorado. Originalmente, o complexo, que ficará situado na Lagoa dos Patos, deveria contar com um berço de atracação de 600 metros. Agora, essa dimensão aumentou para 1,2 mil metros. Além disso, a área do porto, que antes compreendia 42 hectares, passou para 50 hectares. As informações são do Jornal do Comércio, de Porto Alegre.

    Segundo o dirigente, já há a estimativa de um volume de carga assegurado de 84 mil toneladas de grãos por mês. Outra perspectiva de demanda é gerada pela Shiyan Yunlihong Industrial and Trade Company, que irá instalar no município vizinho de Camaquã a sua fábrica de caminhões e de veículos comerciais leves.

    De acordo com a matéria assinada pelo repórter Jefferson Klein, o diretor da Fará Gerenciamento de Negócios Paulo Dorneles detalha que essas mudanças ocorreram em função do tamanho dos navios que devem utilizar o porto. O dirigente revela que existe a expectativa de que o calado de Tapes até Rio Grande seja estipulado em, no mínimo, oito metros. E, anteriormente, o projeto do terminal de Tapes trabalhava com um calado de 6,10 metros. As modificações no empreendimento não devem alterar em muito o investimento no porto, que em uma primeira etapa deve absorver recursos na ordem de R$ 120 milhões. Mais cerca de R$ 100 milhões serão investidos no parque industrial que concentrará as companhias usuárias do novo terminal.

    Dorneles, que recentemente apresentou o projeto na Câmara de Vereadores de Tapes, informa que já foram feitos o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) e, agora, aguarda-se a licença ambiental prévia da Fepam. O executivo acredita que em até seis meses será obtido o licenciamento. O dirigente comenta que empreendimentos como esse precisam ser submetidos a processos burocráticos e avaliações da Fepam, que são demorados.

    Conforme a reportagem, a concretização do terminal também depende de ações que envolvem os governos estadual e federal, como a dragagem da Lagoa dos Patos e a execução de uma estrada até o porto, consolidando o acesso rodoviário. A expectativa atual é de que o início das obras do terminal ocorra no final de 2014 ou no começo de 2015. “Nosso objetivo é fazer o porto de Tapes acontecer, só não sai se o governo não fizer a parte dele”, diz Dorneles.

    Com informações do Jornal do Comércio, reportagem de Jefferson Klein. As fotografias são da Fará Gerenciamento de Negócios.

     ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários

    3 comments

    1. Anonymous

      Excelente noticia e belo complexo logístico que pode alavancar o desenvolvimento em Tape-Camaquã. Minha duvida é será que haverá apoio do e investimento do governo estadual? Indiretamente poderia concorrer com o porto da capital. E ainda mais que são poucas as obras do estado fora do eixo região metropolitana.

      Rafael Lopes

    2. Anonymous

      Gostaria ainda de fazer mais uma observação. Porque um complexo com esta envergadura consegue ser efetivado em Tapes, serve de exemplo para as lideranças administrativas em Pelotas. Que até agora não conseguirem nada de concreto e nem mesmo depois de um ano sequer dar andamento nos estudos ambientais para o tão falado distrito industrial em área do porto de Pelotas. Pelo menos vislumbrasse a construção de via de acesso pelo Dnit.

      Rafael Lopes

    3. Anonymous

      Rafael Lopes, falta vontade política do Governo Municipal, simples. Na gestão anterior ao atual governo, o então prefeito Adolfo Fetter se negou a receber comitiva do Ministério dos Transportes para tratar do assunto. É uma lástima, pois seriam vultuosos investimentos do Governo Federal em nossa região. “O cavalo do de$envolvimento está a trote e nós sequer sabemos montá-lo.”

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.