RESULTADOS APONTAM CRESCIMENTO DO BRDE EM 2023

Primeiro semestre traz marca de R$ 16,6 bilhões em carteira de crédito e estratégia de diversificação na captação de recursos

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) publicou, nesta segunda-feira (28), as demonstrações financeiras correspondentes ao primeiro semestre de 2023. Diante do cenário econômico enfrentado com a desaceleração do crédito no mercado financeiro, além das fontes de recursos já utilizadas, o BRDE iniciou a operacionalização de novos recursos captados junto a instituições multilaterais internacionais. Com essa performance, a carteira de crédito do BRDE apresenta consistente aumento, atingindo a nova marca de R$ 16,6 bilhões no primeiro semestre deste ano. Os financiamentos contratados pelo BRDE neste período atingiram o montante de R$ 2,1 bilhões. O valor é 30,5% superior ao verificado nos seis primeiros meses do ano anterior, em termos nominais, repercutindo em novo recorde.

Em termos de ativo total (soma de todos os bens e direitos), o banco fechou o semestre em R$ 19,8 bilhões. O número corresponde a um crescimento de 11,1% em relação ao mesmo período em 2022, seguindo uma trajetória de crescimento dos últimos exercícios. O índice de inadimplência, a partir de 90 dias, manteve sua estabilidade em baixo patamar, alcançando 0,32% em junho.

O vice-presidente e diretor de Operações do BRDE, Ranolfo Vieira Júnior, destacou que o desempenho positivo no primeiro semestre reforça o compromisso do banco com os investimentos em setores estratégicos para a Região Sul, sempre alinhado às políticas de desenvolvimento definidas em cada Estado.  “Os resultados alcançados neste período consolidam um ciclo de crescimento contínuo do banco, cada vez mais presente no apoio a projetos voltados à inovação e à sustentabilidade. Mas a grande importância dos números está no impacto que cada investimento que teve o BRDE como parceiro representou na vida das pessoas”, frisou Ranolfo.

Representatividade internacional

Nesse semestre, o BRDE intensificou a utilização de recursos dos fundings externos nos financiamentos concedidos. As contratações viabilizadas pelas captações corresponderam a R$ 501,1 milhões, mais de seis vezes o volume utilizado no mesmo semestre de 2022 (R$ 82 milhões). Esse desempenho implicou a participação de 23,4% das fontes externas em todas as operações de crédito realizadas pelo BRDE nos seis primeiros meses de 2023.  “É a partir das parcerias com os organismos bilaterais que o BRDE reforça seu compromisso com a agenda da sustentabilidade. À medida que o banco avança nas suas fontes de recursos, estaremos mais próximos das necessidades dos clientes, que terão sempre à disposição a melhor alternativa de crédito para o seu projeto”, disse o diretor de Planejamento, Leonardo Busatto.

O BRDE passou a disponibilizar novos recursos captados com três instituições multilaterais internacionais. Com o Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), a operação de crédito de 134,6 milhões de euros, no âmbito do Programa de Apoio à Infraestrutura Urbana, Rural e Social para Atingimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Proinfra Sul), é utilizada para investimentos na infraestrutura urbana e em projetos sustentáveis. Além disso, duas novas captações junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) totalizam 150 milhões de dólares. Parte do empréstimo é destinada às micro, pequenas e médias empresas, enquanto a outra linha de crédito resultante dessa captação externa financiará projetos para a melhoria da qualidade de vida nos três estados da Região Sul.

Em outra operação, junto ao Banco Mundial (BIRD), no valor de 89,6 milhões de euros, são contemplados os projetos de resiliência urbana nos municípios da Região Sul. Os recursos dessas três captações internacionais somam aproximadamente R$ 1,9 bilhão e estão disponíveis aos empreendedores e municípios.

Investimentos

Pela característica da Região Sul na produção de alimentos, aproximadamente R$ 835,8 milhões foram destinados pelo BRDE no apoio aos produtores rurais, especialmente ligados à agricultura familiar, às cooperativas agroindustriais e às demais empresas do agronegócio. O número de operações com produtores rurais aumentou 34,6% e o volume contratado cresceu 4,9%. Entre os destaques, está também o aumento de 114,2% para o setor de infraestrutura e de 41,6% para o de comércio e serviços. No setor industrial, que contempla também as operações com as agroindústrias, houve crescimento de 16,1% em relação ao primeiro semestre de 2022.

Os financiamentos para inovação também seguiram a forte demanda apresentada após o período de pandemia. Nesse exercício, as contratações do BRDE para projetos de inovação, por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), corresponderam a R$ 311,4 milhões, um aumento de 391,2% em relação ao mesmo semestre de 2022. Esse montante financiado pelo BRDE representou 14,5% de todas as contratações realizadas pelo banco no semestre. Com isso, o BRDE mantém sua posição de maior repassador de recursos da Finep em âmbito nacional.

Destacam-se também os investimentos em energia renovável, segmento estratégico ao BRDE, pela segurança energética e pelo menor impacto ao meio ambiente. Foram destinados R$ 418,4 milhões a esse tipo de projeto no primeiro semestre de 2023. O balanço ressalta a elevação dos financiamentos com prefeituras, que somaram R$ 88,7 milhões, principalmente para projetos que contemplaram a troca por lâmpadas mais eficientes na iluminação pública e a pavimentação de vias.

Texto: Ascom BRDE
Edição: Secom

Comentários