COMÉRCIO E SERVIÇOS DE PELOTAS DETECTAM AUMENTO DE CONSUMO DURANTE FESTIVAL

O Festival Internacional Sesc de Música movimenta Pelotas no mês de janeiro. Foto: Internet.

Além do acréscimo nas vendas, cerca de 50 estabelecimentos recebem a visita de músicos para quebrar a rotina diária

O Festival Internacional Sesc de Música movimenta Pelotas no mês de janeiro. São estudantes e professores andando com seus instrumentos pelas ruas e sons das melodias podem ser escutados por todos os cantos. O clima se modifica, mas economicamente, o mercado agradece. Anualmente, os setores de hotelaria, serviços e comércio aguardam o período e há dois anos sentiam falta do fluxo de visitantes para um dos maiores eventos de música de concerto da América Latina. Dos cerca de R$ 2 milhões investidos para a realização do Festival, estima-se que mais de 60% fiquem na cidade, seja no consumo por meio da gastronomia ou na compra de produtos, ainda pela contratação de pessoas e serviços para a realização da programação.

“O Festival vem preencher uma lacuna importante no mês de janeiro, quando a cidade, de característica universitária, fica mais vazia. Além dos visitantes, com as atrações, os próprios moradores aproveitam que estão na rua e acabam indo a restaurantes e bares, por exemplo. Estamos tendo um movimento muito superior do que no mesmo período do ano passado”, afirmou o secretário municipal de Desenvolvimento, Turismo e Inovação de Pelotas e vice-presidente da Fecomércio-RS, Gilmar Bazanella.

Com essa expectativa, os gestores se prepararam para a data. A loja de doces Imperatriz, por exemplo, criou um doce especial para o Festival, feito de brigadeiro ou beijinho, recheado com mousse de limão e coberto com coco ralado. E as vendas nestas duas semanas estão mais intensas, especialmente, na loja do Mercado Público, onde há uma grande visita de participantes das atividades.

Além de um acréscimo na receita, os empresários e colaboradores de Comércio e Serviços estão recebendo a visita de músicos, que quebram um pouco a rotina diária. Durante os 12 dias, cerca de 50 estabelecimentos estão sendo contemplados com o talento de André Luiz Amaral Fiba Soares, Eduardo Santos, Luiza Tajes Soares, da Camerata Negrinho Martins. Soares, aluno do Festival pela segunda vez, e Santos e Luiza, que já participaram como estudantes quatro e cinco vezes, respectivamente, foram contratados nesta edição para fazer o tour. A proposta visa valorizar esse público que, por meio de contribuição compulsória, permite que o Sesc/RS realize atividades culturais como essa, com mais de 60 espetáculos gratuitos para a comunidade pelotense. “Com toda certeza fez muita diferença no nosso dia, porque a música nos motiva e nos alegra. As músicas me emocionaram e me deixaram arrepiada”, ressaltou a gerente da loja O Boticário no Centro da cidade, Aida Cezar Mainski.

Comentários