INAUGURADA NO CENTRO DE PELOTAS A RUA DO DOCE

Espaço evidenciará a tradição doceira da cidade – Foto: Gustavo Vara

Pelotas passou a contar com o Centro de Comercialização de Produtos Associados ao Turismo – Rua do Doce, no coração da área central, na rua Sete de Setembro, entre General Osório e Calçadão da Andrade Neves, nas proximidades do chafariz As Três Meninas. A prefeita Paula Mascarenhas coordenou a solenidade de inauguração do espaço, cujo investimento foi de R$ 368 mil, com recursos de emenda parlamentar indicada pelo deputado federal Afonso Hamm (PP) e de contrapartida municipal.

“Agora, temos um espaço à altura da tradição doceira de Pelotas, reconhecida como patrimônio imaterial brasileiro. Pelotenses e turistas já podem usufruir da Rua do Doce – um local que oferece conforto e segurança. É um presente de aniversário dos 210 anos da cidade, séculos de muitas lutas, dificuldades e também de grandes conquistas, como essa, que promoverá geração de renda, empregos e a retomada da nossa economia”, pontuou a prefeita.

O que tem na Rua do Doce

O Centro de Comercialização de Produtos Associados ao Turismo conta com sete espaços para doceiras, um sanitário para o público em geral, adaptado para Portadores de Necessidades Especiais (PNE), área para alimentação e para convivência. O piso é padrão do Calçadão central. Dois bancos, quatro floreiras e lixeira seletiva estão inseridos no conjunto. As obras foram executadas pela empresa Apague Comércio de Equipamentos de Combate a Incêndios Ltda sob responsabilidade da Prefeitura e acompanhamento técnico da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). O espaço da Rua do Doce e a infraestrutura são públicos e a gestão está a cargo da Associação dos Produtores de Doces de Pelotas.

A solenidade

A inauguração da Rua do Doce foi marcada pelo descerramento de placa alusiva ao espaço e pela entrega, simbólica, das chaves das bancas à presidente da Associação dos Produtores de Doces de Pelotas, Simone Bica, e à titular da Cooperativa dos Doceiros de Pelotas, Lígia Maria Henriques, cuja entidade completa 40 anos neste ano. Lígia Henriques, agradecendo aos presentes, especialmente a todos os que se empenharam para consolidar a Rua do Doce, disse que “Pelotas está melhor e que seja sempre possível o trabalho firme para vencer”. A presidente da Associação, Simone Bica, salientou que o momento da inauguração “era muito esperado e tudo o que é muito esperado nos abraça melhor. A Rua já é um sucesso, um novo ponto turístico da cidade”.

O secretário de Desenvolvimento, Turismo e Inovação, Gilmar Bazanella, afirmou que “O doce é o elemento principal de uma cadeia que prospecta a cidade para o mundo. É uma atividade econômica que leva longe o nome e a tradição do município. Precisamos, mais do que nunca, trabalhar de forma associativa. A Rua do Doce ocupa ponto comercial de maior movimento em Pelotas. As doceiras agora estão em local de destaque”.

“Tudo que se entrega é conquista coletiva”, afirmou a prefeita Paula, agradecendo aos secretários da administração municipal, equipes e todos os envolvidos na consolidação da Rua do Doce, principalmente vereadores, aos quais se referiu por conta do apoio indispensável para realizações. “Temos conseguido aprovar avanços e projetos, em nome do compromisso público e da coragem dos vereadores”, observou a prefeita.

Paula ainda ressaltou a qualidade da estrutura. “A Rua do Doce é um orgulho para os pelotenses, elevando a autoestima. É lugar de desenvolvimento econômico, de crescimento. A repercussão da emenda parlamentar que garantiu os recursos para essa construção será grande, seguirá dando frutos. Vale a pena investir em Pelotas. Desejo muito sucesso e que o trabalho das doceiras seja com harmonia e respeito. O futuro da cidade depende de ações coletivas. Confio. Vamos em frente.”

Articulações para criação da Rua do Doce

A busca de recursos para construção da Rua do Doce teve sequência no ambiente da Bancada Progressista da Câmara de Vereadores, no início deste mandato (2020), por meio dos vereadores Michel Promove e Jair Bonow (falecido há um mês). Ambos levaram adiante as articulações começadas no passado junto à esfera federal, visando à liberação da emenda parlamentar e, com sucesso, levando o resultado à prefeita Paula. A criação da Rua do Doce vingou a partir da Lei nº 6.755/2019 – projeto de autoria do vereador José Sizenando (DEM).

Na cerimônia de inauguração do espaço, o vereador Michel Promove salientou que os doces de Pelotas são conhecidos internacionalmente. “Temos o Laranjal, as Charqueadas, o Centro Histórico, mas os doces consolidam a tradição da cidade”.

Para o vereador Sizenando, “Só o projeto não fez essa realização. Tivemos apoios. Nosso município, conhecido pelo Theatro Sete de Abril e por diversas referências de patrimônio, conta agora com o doce como marco do turismo, a bandeira da cidade”.

O deputado Afonso Hamm conseguiu os recursos através de emenda parlamentar. Ele destacou a relevância da obra. “A Cidade do Doce tem que ter seu produto na vitrine permanentemente”, afirmou o parlamentar, contando sua trajetória em Pelotas. “Nasci em Bagé e sou cidadão pelotense. Orgulho-me por representar Pelotas.” Foto: Gustavo Vara

O deputado Afonso Hamm destacou a relevância da obra. “A Cidade do Doce tem que ter seu produto na vitrine permanentemente”, afirmou o parlamentar, contando sua trajetória em Pelotas. “Nasci em Bagé e sou cidadão pelotense. Orgulho-me por representar Pelotas.”

Entre outros, estiveram presentes na inauguração, além dos já citados, o vice-prefeito Idemar Barz, os vereadores Paulo Coitinho (Cidadania), César Brisolara – Cesinha (PSB) e Cristiano Silva (União Brasil), os secretários de Governo e Ações Estratégicas, Fábio Machado, de Segurança Pública, José Apodi Dourado, de Cultura, Paulo Pedroso, e de Educação e Desporto, Adriane Silveira, a comandante da Guarda Municipal, Cíntia Aires, os assessores especiais de Comunicação, Gustavo Azevedo, e de Projetos, Luiz van der Laan, o assessor técnico do Conselho Superior Socioeconômico de Desenvolvimento e Inovação, Maurício Martins, e a gestora de Turismo do Sebrae/Pelotas, Jussara Argoud.

Comentários