PEQUENAS EMPRESAS QUEREM SER DIGITAIS, DIZ PESQUISA DO SEBRAE-RS

 Foto: Freepik

Segundo o estudo, mais da metade (56%) das MPEs do RS investiram em tecnologia e soluções digitais frente à pandemia;
Trabalho híbrido é realidade para 42% dos pequenos negócios.

Acelerada por novas demandas e dinâmicas de mercado, a transição para modelos digitais está cada vez mais acelerada nos pequenos negócios gaúchos. Dados levantados pelo Sebrae RS apontam que mais da metade (56%) das Micro e Pequenas Empresas (MPEs) do Estado aceleraram este processo e investiram em tecnologia e soluções digitais para fazer frente aos desafios impostos pela Covid-19, especialmente a mudança de comportamento dos consumidores.

As áreas mais impactadas pela digitalização dos negócios foram: atendimento ao cliente e vendas (67%), marketing e divulgação (62%), gestão (29%) e relacionamento com fornecedores (24%). Além disso, o modelo de trabalho híbrido é realidade atual para 42% das MPEs gaúchas, ao passo que 5% atuam de forma remota, e, 53% no modelo presencial tradicional.

Os dados são da 20ª edição da Pesquisa de Monitoramento dos Pequenos Negócios do Sebrae RS. Entre os entrevistados, a pesquisa indicou que uma em cada três empresas (31%) são nativas digitais, ou seja, têm o seu negócio baseado em novas tecnologias e recursos digitais, tanto no que diz respeito à sua estratégia quanto à operação.

“A digitalização dos negócios já deixou de ser uma tendência, como observada antes da pandemia, e se tornou uma necessidade indesviável para as empresas permanecerem relevantes junto aos seus clientes, e competitivas nos seus mercados de atuação”, resume o diretor-superintendente do Sebrae RS, André Godoy. Para ele, o principal desafio, agora, está na adaptação das estruturas das empresas a esta realidade.  “A transformação digital é sobre cultura, pessoas e processos, mais do que sobre negócios. Sem uma rápida adaptação nestas competências, será muito difícil para as empresas prosperarem”.

DESTAQUES DA PESQUISA

Tecnologias empregadas na transformação digital das pequenas empresas gaúchas:

31% – Equipamento portátil de informática;

31% – Tecnologia e sistemas de marketing digital;

28% – Sistema de armazenamento de dados em nuvem;

23% – Software de gestão;

21% – Software de videoconferência.

Áreas e oportunidades impactadas pela transformação digital:

48% – melhoria no relacionamento com os clientes;

35% – abertura para novos mercados / clientes;

24% – redução de custos;

23% – melhoria nos controles de gestão;

19% – melhoria na operação / ganho em produtividade;

17% – melhoria na tomada de decisão com base em dados;

12% – incorporação de novos produtos e serviços.

Além das informações sobre transformação digital, dados do estudo confirmam ainda uma perspectiva geral favorável para os negócios nos próximos seis meses no Estado. O estudo mostra que os empresários gaúchos seguem confiantes em relação aos negócios: 49% têm a expectativa de manter e 45% de expandir. Os números são corroborados pela expectativa de aumento no faturamento para 76% dos entrevistados. E desses, 61% acreditam que o aumento será de até 30%.

Comentários