FIERGS DISCUTE ALTERNATIVAS PARA O MODAL FERROVIÁRIO NO RIO GRANDE DO SUL

O modal ferroviário no Rio Grande do Sul foi tema de uma reunião via web realizada entre a FIERGS, por meio do Conselho de Infraestrutura (Coinfra), o senador gaúcho Luis Carlos Heinze e líderes empresariais de diferentes setores. Um dos objetivos da videoconferência, mediada pelo coordenador do Coinfra, Ricardo Portella, foi o de levar propostas à empresa Rumo, que detém a concessão no Estado, para investimentos que permitam a reativação de trechos da malha que estão desativados. A empresa apresentou um plano de modernização ferroviária que será analisado pela FIERGS e por outras entidades da indústria, agricultura e comércio, que utilizam as ferrovias para o transporte de cargas e participaram do encontro.

A malha ferroviária Sul, que inclui RS, PR e SC, é a segunda maior em extensão entre as concessionárias do País, com 6.586 quilômetros, sendo que 50% dessa extensão está localizada dentro do Rio Grande do Sul. São 12 ramais em território gaúcho, em um total de 3.259 quilômetros concedidos, sendo apenas 1.952 utilizados plenamente, 60% da rede. Em 2011, foram transportadas mais 8 milhões de toneladas/ano pelo modal ferroviário no Estado. Em 2019, esse número baixou para menos de 5,5 milhões de toneladas/ano. Essa queda significativa preocupa os empresários, pois vai no sentido contrário ao do aumento de volume registrado anualmente pela produção industrial e agrícola do RS.




Comentários